-Publi-A-

A viagem vai começar!

O ritual de todo ano: a saga do torcedor que se prepara para reviver sua paixão e recarregar suas baterias com a alegria, paixão e o talento características do Festival.

Sinny Lopes | 24 horas

[email protected]

Manaus (AM) – Festival de Parintins batendo na porta e o torcedor já se prepara para embarcar para ilha com a ânsia de rever amigos, lugares, mitos, ícones, cores, luzes, movimentos. A saga de deslocar-se para Parintins requer planejamento, preparativos e o principal: controle!

Controlar a ansiedade de desligar-se do mundo e entrar em outro mundo de fantasia, alegria onde cada minuto parece, ao mesmo tempo, eterno e efêmero. Há providências a serem tomadas, compras a serem realizadas, contatos a serem feitos antes de embarcar para a ilha do folclore.

No check list do torcedor está: comprar passagens (de avião ou de barco), assegurar que retorne em tempo hábil para que segunda-feira esteja de volta a sua cidade para trabalhar. Se for de avião torcer para que os voos não atrasem e estrague o planejamento do dia, se for de barco deliciar-se com um visual deslumbrante, de vento no rosto em uma madrugada gostosa.

MAP

Porém, antes de qualquer coisa comprar: rede, escova de dente, sabonete, meia, sunga/biquini, bermudas/shorts, cordas, cadeado, mala, guloseimas para viagem, carregador portátil, óculos, sandália, toalha, protetor solar dentre outros itens de primeira necessidade.

Ligar para o amigo busca o colega/visitante no porto, conseguir aquela vaguinha na casa de algum amigo ou do amigo do amigo do amigo para economizar uma grana; ligar para os amigos “da onda” para saber qual a cota de cada para antes e pós-apresentações.

Chegada-em-Parintins-Viajante-Solo

Chegando à ilha a primeira coisa a se fazer é o checking “em Parintins” e matar meio mundo de raiva porque ou não vai e ou ainda está em Manaus. Depois é deixar sua mala onde ficará hospedado e piruetar para a rua e curti a ilha. Mas, tudo pode esperar um pouco, pois algo obrigatório deve ser feito: tirar uma foto em frente da Catedral de Nossa Senhora do Carmo.

Tacaca

Com toda certeza do mundo quem vai por via fluvial chaga a ilha pela tarde, por volta das 14h30 ou 16h, justamente na hora que as banquinhas de tacacá são postas por toda a cidade. Aí parente não tem outra: com muita cebola e cebolinha, tia! O próximo passo é obvio: ir para o curral e saber a programação de festas e ensaios.

Vem à noite e com ela a badalação: arruma-se, bem bonitinho, afinal estamos em Parintins em pleno festival, então partiu curral. Festa, festa, alegria, suor e mais alegria, mas, o show acabou e a programação só começou ainda resta toda uma madrugada a explorar.

Depois de bater perna à tarde e saracotear no curral à fome bateu e o que fazer: partiu Harumi, Fadão, Kúiu, Luiz,  Praça dos Bois ou o “japonês” da praça. Saciada a fome hora de andar de moto pela cidade em grupo: Porto, Baixa, Praça da Liberdade são alguns destinos.

Hora de descansar para um dia mais cheio ainda, pois o café da manhã têm endereços certos: mercado municipal ou o Lanche da Gabi. After, “Canta Galo” tomar aquele banho e aquele bronze. Na hora do almoço aquela galinha caipira ou caldeirada no Aninga ou até mesmo aquele bodó assado de esquina.

Sem antes, deixar um colega ou alguém guardando os lugares na fila para entrar na galera. E tome sol, tome sol, espera e espera. Uma galera xingando a outra, uma xavecando a outra e pá: chegou à passagem de som (um dos melhores momentos antes das apresentações). E o roteiro repete-se, não necessariamente, nesta mesma ordem por dias e ao final da última noite uma imensa saudade antecipada: hora de catar as roupas espalhadas e tentar organizá-las.

Imagem1

A mala que coube tudo na ida, na volta parece que encolheu: não tem espaço! E uma saudade, incontrolável toma conta e duas fortíssimas certezas: acabou, mas, ano que vem estou aqui de novo!

Haja o que houver essa sempre será a saga do torcedor, com crise ou sem crise, com governo ou sem governo, com bloqueio ou sem bloqueio, com fora aquele e aquele outro. A viagem acabou, mas, os planos para o ano que vem recomeçam com a mesma intensidade e desejo de reviver tudo de novo mais uma vez.

Boa viagem…

Parintins aguarda os seus fiéis e apaixonados torcedores!

você pode gostar também