-Publi-A-

Actividades astronómicas para o mês de Agosto.

Fig01: Céu de Agosto.

Agosto está recheado de eventosastronómicos para todos nós acompanharmos, vamos  a nossa agenda?

Começamos bem, em dia de abertura oficial dos Jogos Olimpícos 2016, neste 05/08/16 (sexta-feira) temos nesta noite uma linda   configuração entre Lua e Júpiter, que se encontra ligeiramente acima da Lua.  Facto que você confere na direção Oeste-Noroeste.  Essa configuração poderá ser vista a olho nu ou por binóculo. É de fácil localização. Aparecerão dois “pontinhos” brilhantes  imediatamente  abaixo da Lua, são respectivamente, Mercúrio e Vénus. Portanto a ordem, de cima para baixo, é: Júpiter, Lua, Mercúrio e Vénus.

Fig02: Configuração entre Lua e Júpiter.
Fig02: Configuração entre Lua e Júpiter.

Aproveite que você já está a olhar para essa região e observe  – a olho nu ou por binóculo  – a configuração  entre Vénus  e Regulus (Constelação do Leão).  Durará pouco tempo, e ficará visível  assim que o Sol se pôr.

Fig03: Júpiter acima da Lua.
Fig03: Júpiter acima da Lua.

No dia 06/08/2016, mais uma vez o show fica por conta da Lua e Júpiter, porém, este se encontra abaixo  da Lua. Invertendo-se, portanto, as posições.

Fig04: Lua acima de Júpiter.
Fig04: Lua acima de Júpiter.

 No dia  07/08/16, a estrela Porrima (Constelação de  Virgem) estará  logo abaixo da Lua formando  uma  linda  configuração vista  a Oeste-Noroeste.  Reforçando,  você poderá  acompanhar   a olho nu ou com o auxílio de um binóculo, ok?

Fig05: Configuração entre Porrima e Lua.
Fig05: Configuração entre Porrima e Lua.

Na segunda-feira, dia 08 de agosto, teremos  a máxima actividade  do radiante boreal  da chuva  de meteoros  Delta-Aquarídas do Sul.

Fig06: Chuvas de meteoros
Fig06: Chuvas de meteoros

Como você percebeu, na figura 06  teremos  além da  Desta-Aquarídas do Sul, a contribuição de outras  chuvas de meteoros. Tudo isso você poderá acompanhar a olho nu, ok? Nessa mesma noite,  temos  mais uma configuração, desta vez  entre a Lua e  a estrela Spica (Constelação de Virgem).  É visível a olho nu, ou se preferir  poderá  usar um binóculo. Basta olhar para  a direção oeste-noroeste.

Fig07: Configuração entre Lua e Spica.
Fig07: Configuração entre Lua e Spica.

Na terça-feira, dia 09, temos outra linda configuração, desta vez, envolvendo Marte e a estrela  Dschubba (Constelação de Escorpião). Essa estrela tem  uma magnitude aparente +2.4 e  situa-se na Quela do Escorpião. Tanto Marte quanto Dschubba podem ser  avistados  no  alto do céu  do  céu, bem no início da  noite. A observação pode ser feita a olho nu ou com o auxílio de binóculo.

Fig08: Configuração entre Marte e a estrela Dschubba.
Fig08: Configuração entre Marte e a estrela Dschubba.

No dia 11, quinta-feira,   teremos um  triângulo  quase equilátero no céu. A figura  geométrica  será formada  pelos seguintes astros: Lua, Marte e Saturno. Situado ao Este-Nordeste,  você poderá acompanhar tudo  a olho nu (ou por binóculo).

Fig09: Triangulação no céu.
Fig09: Triangulação no céu.

No dia 12, sexta-feira,  teremos  a  máxima actividade  da chuva de meteoros Perseidas (vide figura 06). Na mesma noite  poderemos contemplar, também,  a configuração entre Lua e Saturno – que estará acima da Lua. Ambos os eventos poderão ser  conferidos a olho nu, ok?

Fig10: Configuração entre Lua e Saturno.
Fig10: Configuração entre Lua e Saturno.

Em seguida, dia 16 (terça-feira)  é uma grande  oportunidade  para  observar  Mercúrio. Haja vista que ele estará 27°14’ a  este do Sol, assim que anoitecer. O planeta estará no horizonte  oeste.  Pode ser  observado a olho nu ou  por binóculo.

Fig11: Melhor data para observar Mercúrio.
Fig11: Melhor data para observar Mercúrio.

Dias 17 e 19 (quarta e sexta, respectivamente) terão chuvas de meteoros.  Na ordem, primeiro será a Capa-Cignídeas  (17) e depois a Iota-Aquarídeas (19).

Fig12a: Chuva de meteoros Capa-Cignídeas.
Fig12a: Chuva de meteoros Capa-Cignídeas.
Fig12b: Chuvas de meteoros Iota-Aquarídeas.
Fig12b: Chuvas de meteoros Iota-Aquarídeas.

No dia 20 (sábado),  temos ao oeste-noroeste uma configuração entre Júpiter e Mercúrio, estando os dois planetas  próximos ao horizonte. Você notará que logo abaixo,  desses dois astros, está  Vénus.  Podem ser vistos a olho nu ou  por binóculo.

Fig13: Conjunção entre Júpiter e Mercúrio.
Fig13: Conjunção entre Júpiter e Mercúrio.

Dia 24 de agosto (quarta-feira) teremos uma linda configuração  envolvendo   Marte e  Antares (Constelação de Escorpião). Notamos aqui que  Antares está quase  alinhado   com os planetas Marte e Saturno. Isso você poderá conferir a olho nu ou por binóculo, ok?

Fig14: Configuração entre Antares, Marte e Saturno.
Fig14: Configuração entre Antares, Marte e Saturno.

No dia 25 (quinta-feira) teremos outra configuração.   A Lua estará próxima dos aglomerados estelares abertos: Plêiades e Híades (ambos pertencentes à Constelação de Touro).  A estrela Aldebaran também poderá ser avistada, próxima à Lua. Tudo isso você poderá acompanhar a olho nu,     ou por binóculo.

Fig15: Configuração entre Lua, Plêiades e Híades.
Fig15: Configuração entre Lua, Plêiades e Híades.

Dia  27 (sábado), teremos conjunção planetária  envolvendo  Vénus e Júpiter, que estarão  a oeste bem próximos ao horizonte. Note, também, que   Mercúrio estará imediatamente à esquerda dos dois outros planetas. O fenómeno poderá ser acompanhado a olho nu ou por binóculo.  Não se assuste se  você tiver a impressão que Júpiter e Vénus estão “colados” um ao outro.  Visto a olho nu ou por binóculo  você  notará  um ponto muito brilhante e outro, mais débil, à esquerda (que é Mercúrio) – conforme mostra a figura 16.

Fig16: Mercúrio ao lado de Júpiter e Vénus.
Fig16: Mercúrio ao lado de Júpiter e Vénus.

Porém, se  você usar um telescópio, poderá notar algo parecido com o mostrado na figura 17.

Fig17: Vénus e Júpiter com auxílio de telescópio.
Fig17: Vénus e Júpiter com auxílio de telescópio.

Agosto fecha com  chuva de meteoros,  dia  31 será a máxima actividade  do radiante  de alfa-aurigídeas.

Fig18: Chuva de meteoro alfa-aurigídeas.
Fig18: Chuva de meteoro alfa-aurigídeas.

Como vimos, Agosto é um mês  recheado de lindas configurações, conjunções, triângulo, alinhamento planetário, enfim,  muitas actividades. E o melhor: você poderá acompanhar  todas elas   a olho nu. Agora que você está informado dos eventos que teremos ao longo dos próximos, então, bons céus para si.

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Líder do NEPA/UEA/CNPq, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da SBPC, Membro da SBF, membro da UAI, membro da PLOAD/Brasil e ST/Brasil, Revisor da Revista Areté, Revisor da Revista Eletrônica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Coordenador do Planetário Digital de Parintins, Coordenador do Planetário Digital de Manaus, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

 

você pode gostar também