-Publi-A-

Acusados de matar delegado Oscar Cardoso vão a júri

Marcado para a próxima sexta-feira (25), o julgamento dos acusados de assassinar o delegado de Polícia Civil Oscar Cardoso Filho já começa a movimentar órgãos e autoridades locais envolvidas no evento. João Pinto Carioca, o ‘João Branco’, que está preso na Penitenciária Federal de Catanduvas, no interior do Paraná, será interrogado por meio de videoconferência.

O Juízo da 2ª Vara do tribunal do Júri determinou ainda restrições de acesso às dependências do prédio e também do registro de imagens do julgamento, que será realizado no Fórum Ministro Henoch Reis, na zona sul de Manaus.

As medidas, segundo o autor da denúncia, promotor de Justiça Edinaldo Aquino Medeiros, são necessárias para assegurar as garantias constitucionais da ampla defesa e garantir a segurança da realização do julgamento. “Sustentamos a tese de que os acusados planejaram e executaram um crime bárbaro, devendo ser condenados às penas da lei. Nossa expectativa é de que o julgamento se realize sem incidentes e sem mais adiamentos, pois, a melhor justiça é a que se realiza com a maior brevidade possível, prestando contas à sociedade”, declarou o promotor de Justiça.

Quatro dos cinco denunciados pelo MP-AM estarão presentes no julgamento: Messias Maia Sodré, Diego Bruno de Souza Moldes, Mário Jorge Nobre de Albuquerque (Mário Tabatinga) e Marcos Roberto Miranda da Silva (Marcos Pará). E ‘João Branco’ será interrogado por meio de videoconferência. No dia do julgamento, o acesso ao fórum será pela porta principal, com entrada pelo detector de metal e revista.

Conforme os autos, o delegado Oscar estava em uma banca de peixe quando um veículo parou e os ocupantes, entre eles ‘João Branco’; Marcos Roberto Miranda, o ‘Marcos Pará’; Messias Maia Sodré, o ‘Messias’; Adriano Freire Corrêa, o ‘Maresia’; e Marcos Sampaio de Oliveira, o ‘Marquinho Eletricista’, desceram e teriam efetuado vários disparos contra Oscar.

Inicialmente, segundo o TJAM, eram sete acusados da morte do delegado Oscar, porém, ‘Marquinhos Eletricista’ e ‘Maresia’ foram mortos no decorrer da instrução do processo.

A FDN foi apontada como responsável por um dos maiores massacres do sistema penitenciário do Brasil, ocorrido em unidades prisionais de Manaus e que resultou na morte de dezenas de presos, em janeiro deste ano. Aliada ao Comando Vermelho, a facção amazonense é inimiga declarada do Primeiro Comando da Capital (PCC).

Do d24

 

você pode gostar também