Alejandro Valeiko tem prisão domiciliar revogada e deve cumprir temporária

Filho da primeira-dama de Manaus, suspeito de homicídio se apresentou à polícia na tarde desta terça-feira (7).

Alejandro Valeiko chega ao IML para realizar exame de corpo delito — Foto: Victor Hugo/Rede Amazônica

Alexandre Molina Valeiko, suspeito de envolvimento no homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, teve sua prisão domiciliar revogada. De acordo com nova decisão judicial, o filho da primeira-dama de Manaus deve cumprir prisão temporária de 30 dias.

A decisão é assinada pelo desembargador José Hamilton Saraiva dos Santos. Em observação, o magistrado determina que Alejandro fique separado dos demais detentos para garantir sua integridade física e moral. Ele salienta ainda que o laudo médico apresentado pela defesa de Alejandro, que alega distúrbios psiquiátricos e dependência química, não invalida o decreto de prisão temporária.

“Sobretudo porque a discussão sobre sua normalidade mental ou uso abusivo de drogas ilícitas, não pode se prestar para evitar a medida cautelar determinada, considerada imprescindível para as investigações policiais em curso”

Alexandro, filho da primeira-dama de Manaus, se entregou à polícia no início da tarde desta segunda-feira (7). Ele tinha prisão temporária domiciliar decretada em aberto e chegou a ser considerado foragido.

Filho da primeira-dama de Manaus estava no Rio de Janeiro — Foto: Eliana Nascimento/G1 AM

Segundo sua família, Alejandro estava em uma clínica de reabilitação para dependentes químicos no Rio de Janeiro. A defesa pedia a prisão domiciliar para que houvesse manutenção do tratamento de Valeiko.

Acompanhado de seus advogados e seguranças particulares, o filho da primeira-dama deu entrada na Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (Dehs) por volta das 12h10 desta segunda. Ele permaneceu no prédio até o início desta noite.

Por volta das 19h50 Alejandro deu entrada no IML, onde passou por exame de corpo delito.

Ao G1, o advogado Yuri Dantas Barroso afirmou que a defesa ainda não se pronunciará sobre a decisão judicial.

O crime

O crime ocorreu na noite do dia 29 de setembro após uma festa na casa de Valeiko, no bairro Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus. Flávio teria sido agredido e retirado do local da festa após uma briga. Horas depois, na segunda-feira (30), o corpo de Rodrigues foi encontrado nas proximidades de um igarapé no Tarumã.

Cinco suspeitos de envolvimento no homicídio do engenheiro foram presos:

  • José Edvandro Martins de Souza Junior, 31;
  • Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, 22;
  • O chefe de cozinha Vitorio Del Gatto, que morava na residência;
  • O policial militar Elizeu da Paz de Souza, 37, que está lotado na Casa Militar da Prefeitura de Manaus e, conforme investigações, seria segurança de Alejandro, também foi preso;
  • Outro preso foi Mayc Vinicius Teixeira Parede, 37;
Com informações do g1
você pode gostar também