Aluno da Escola Gentil Belém é ouro na Olimpíada Brasileira de Matemática

Sete alunos da rede estadual de Parintins, distante 369 quilômetros de Manaus, foram premiados na 16ª Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP). A relação com os nomes dos contemplados com as premiações foi divulgada no site da OBMEP nesta terça-feira (18/01).

A medalha de ouro foi conquistada pelo estudante Gabriel Ribeiro Queiroz, da Escola Estadual (EE) Gentil Belém. Já o aluno Victor Emanuel Silva de Oliveira, da Escola Estadual Suzana de Jesus Azedo, e Luiza Isabelle Silva Nascimento, do Centro de Educação de Tempo Integral (Ceti) Deputado Gláucio Gonçalves, foram premiados com a medalha de prata.

Para a secretária estadual de Educação e Desporto, Kuka Chaves, o resultado é fruto da dedicação dos alunos e professores, que buscam estimular a preparação dos estudantes durante o ano letivo.

“O governador Wilson Lima reforça o comprometimento com a educação, e o reflexo não poderia ser diferente. O Amazonas tem tido êxito e destaque em diversas avaliações e competições externas, todas com o preparo e a dedicação dos gestores escolares que junto aos professores, buscam preparar estes jovens para as olimpíadas e competições escolares”, pontua.

A gestora da EE Gentil Belém, Maria Farias, conta que a unidade de ensino busca incentivar os alunos anualmente a atuarem nestas competições.

“Em 2021, apesar da pandemia, a prova foi realizada de forma presencial. Assim que recebemos o resultado ficamos muito emocionados e felizes. Eu, como gestora da escola que apoio nossos professores a preparar nossos alunos para essas competições, só posso enaltecer o trabalho educacional que desenvolvemos na escola”, expressa a gestora.

A professora Soraia Batista Ribeiro, mãe do aluno Gabriel Ribeiro Queiroz, de 12 anos, campeão com a medalha de ouro, conta como se sentiu ao receber o resultado da Olimpíada: “Muito emocionante, uma mistura de alegria e de satisfação por ver que o esforço dele nos estudos foi recompensado com um excelente resultado. Para ele foi uma surpresa, pois ele até já havia esquecido que iria sair o resultado por esses dias”, entrega a mãe.

Ainda segundo Soraia, desde cedo o estudante apresentou facilidade com os estudos, em particular com a parte de raciocínio matemático. “Eu e o meu esposo somos professores, logo nós o incentivamos, cobramos que ele tenha uma rotina de estudos, mas nada com exagero. Entendemos que ele tem que ter os momentos dele de lazer e distração como qualquer outra criança ou adolescente”, finaliza.

Mais medalhas – Ao todo, 15 municípios do Amazonas também tiveram destaque na OBMEP. Foram cinco medalhas de ouro para as cidades de Novo Aripuanã, Manacapuru, Parintins, Tefé e Boca do Acre. Já os estudantes que receberam a medalha de prata são dos municípios de Apuí e Benjamin Constant. Os ganhadores da medalha de bronze são de Itacoatiara, Coari, Barreirinha, Anamã, Manicoré, Tabatinga, Borba e Maués. Ao todo, a rede estadual de ensino no interior arrematou 30 medalhas na disputa.

OBMEP – Criada no ano de 2005, a OBMEP tem o objetivo de estimular e promover o estudo da Matemática, contribuindo para a melhoria da qualidade da educação básica e identificando talentos na área de ensino.

você pode gostar também
..