Amapá entra no 4º dia de apagão que atinge 89% da população; postos e supermercados têm filas

Previsão de retomada de 60% a 70% do serviço segue até esta sexta-feira (6). Treze dos 16 municípios seguem sem luz, com exceção de hospitais.

Apagão no Amapá provoca filas em postos de combustível — Foto: John Pacheco/G1

O Amapá iniciou nesta sexta-feira (6) o 4º dia de apagão em 13 dos 16 municípios, que se aproxima de 60 horas. Mesmo com o início do trabalho de reparo na subestação atingida por um incêndio na noite de terça-feira (3), não houve retomada da eletricidade, prevista inicialmente na noite de quinta-feira (5) e que se estenderia ao longo do dia.

 

Desde as primeiras horas da manhã, os postos de combustíveis que usam geradores para obter energia estão com filas enormes. Até o momento não há informações sobre desabastecimento.

As filas também são registradas em supermercados e locais de revenda de água, principalmente na capital Macapá, que concentra 60% da população do estado.

 

O apagão foi resultado de um incêndio em uma subestação de energia na capital, na noite de terça-feira (3). O gabinete de crise formado pelo governo federal divulgou, ainda nesta quinta, três planos de recuperação do serviço.

Em alguns bairros da capital – no Centro e Zona Sul – e no município de Santana, na Região Metropolitana, têm energia, devido a serem abastecimentos pelos mesmos circuitos que serviços essenciais como hospitais e o sistema de tratamento de água e esgoto. Mesmo assim, os locais encaram oscilação no serviço.

Na quinta-feira (5), a prefeitura decretou estado de calamidade pública em Macapá. Também foi autorizado o funcionamento 24 horas de postos de combustíveis.

A falha afeta o funcionamento das redes de telefonia fixo, móvel e de internet, que funcionam de maneira limitada. Hospitais passaram a depender de geradores.

Trabalhadores e empresas têm transtornos e prejuízos com o apagão. Além disso, macapaenses vêm ocupando shoppings e aeroporto em busca de energia.

você pode gostar também