-Publi-A-

Amazonas ofertará 1,4 mil vagas em concurso para segurança

O Governo do Amazonas divulgou, na última terça-feira (15), o decreto de número 38.981/2018 que prevê oferta de 1.421 mil vagas destinadas a atender os órgãos da Segurança Pública e Sistema Penitenciário do Estado. O edital ainda não tem data para lançamento.

De acordo com o decreto, para a Policia Militar serão destinadas 661 vagas, e para a Polícia Civil serão 424. Para o Corpo de Bombeiro são 228 vagas e para o Sistema Penitenciário serão 108 vagas.

Veja as vagas por Setores:

Polícia Civil

60 vagas para Delegado

200 vagas para Investigador

98 vagas para escrivão

27 vagas para perito criminal

8 vagas para perito legista

3 vagas para perito odontolegista

16 vagas para auxiliar de perito

10 vagas para Padioleiro

Bombeiros e Agentes Penitenciários

Para o Sistema Penitenciário do Estado, estão previstas 108 vagas para Agente Penitenciário. Já para o Corpo de Bombeiro deverão ser disponibilizadas cerca de 228 vagas, distribuídas  da seguinte forma: 30 vagas para Aluno Oficial BM e 198 vagas para Aluno Soldado BM.

Polícia Militar

Para a Polícia Militar, o Governo do Amazonas pretende ofertar cerca de 661 vagas, distribuídas em quatro  áreas, sendo:

20 vagas para Oficial de Saúde – Aluno oficial de Saúde;

20 vagas para Cabo Especialista de Música – Aluno Cabo;

20 vagas para Cabo Especialista de Saúde  – Aluno Cabo;

601 Vagas para Soldado Combatente – Aluno Soldado.

Nota

Por meio de nota a Secretaria de Administração e Gestão (Sead) informou que “no dia 3 de maio, o DOE publicou o decreto que instituiu as Comissões Geral e Especiais que vão regulamentar, estruturar e organizar os concursos públicos nas áreas de segurança e sistema penitenciário do Poder Executivo Estadual. Os componentes das comissões foram indicados pelos órgãos envolvidos, bem como os que vão atuar na fiscalização e realização dos certames.

Além da Comissão Geral, foram instituídas quatro comissões especiais responsáveis pelos concursos representando a Polícia Militar, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Secretaria de Administração Penitenciária (Seap).

Também participam da comissão geral a Secretaria de Administração e Gestão (Sead), Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Procuradoria Geral do Estado (PGE), Controladoria-Geral do Estado (CGE) e Casa Militar. O próximo passo será a definição da banca realizadora do concurso, o que deverá ser decidido em conjunto pelas comissões.

Com informações do Em Tempo

você pode gostar também