Amazônia teve cinco casos de terremotos nos últimos anos, diz Serviço Geológico dos Estados Unidos

Terremotos são abalos sísmicos que acontecem nas placas tectônicas, cujas movimentações provocam tremores na superfície da Terra. 

Segundo  o Geofísico Marcos Ferreira, a região amazônica apresenta duas principais fontes de terremotos:  

1. A subdução da placa de Nazca sob a Placa Sul-Americana na fronteira do Brasil (região do Acre) com o Peru.  “Esse sistema gera diversos eventos sísmicos, em sua maioria a grandes profundidades e com maiores magnitudes concentrando-se na porção mais a oeste do estado”afirma o especialista. 

2. Terremotos ocasionados por deslocamentos de falhas geológicas e acomodações das mesmas na parte interna da placa tectônica Sul-Americana, sendo geralmente mais rasos que os anteriores. 

Ainda segundo com o geofísico, a ocorrência dos terremotos se dá pelo acúmulo gradual da energia mecânica provocado pelo movimento relativo de dois blocos tectônicos vizinhos.  

“Estes grandes blocos, que formam a crosta terrestre, estão sob constante movimentação e consequente geração e acúmulo de tensão gerando um aumento dessa energia ao longo do limite entre estes blocos até o ponto onde ocorre o descolamento, e é essa movimentação que libera uma grande quantidade de energia, isto é o que chamamos de terremotos. A magnitude dos eventos é a medida da quantidade de energia liberada instantaneamente nesse deslocamento relativo entre os blocos. Por isso, quanto maior for a magnitude, maior será essa energia liberada” explicou. 

O Portal Amazônia conta os principais terremotos registrados na América do Sul, recentecemente. Confira: 

 Peru

Em novembro de 2021, um terremoto de magnitude 7,5, atingiu a Amazônia peruana. O tremor chegou a ser sentido em cidades do norte do Brasil, como o Acre. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro do tremor foi identificado a cerca de 98 quilômetros do município de Santa María De Nieva, na província de Condorcanqui, e a uma profundidade de 131 quilômetros.

Em abril de 2019, um terremoto de magnitude 7,2 graus foi registrado no Alto Amazonas do Peru e sentido em vários municípios do Amazonas e em Manaus. O terremoto ocorreu a aproximadamente 70 km a sudeste do distrito de Lagunas, segundo o Instituto Geofísico Peruano (IGP).

Em agosto de 2018, um terremoto de magnitude 7,1 atingiu a Amazônia, na escala Richter atingiu o Peru e foi sentido no Chile e no Brasil. Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o epicentro foi registrado a 250 quilômetros da cidade de Puerto Maldonado, no Peru. O tremor foi sentido no Acre e no Sul do Amazonas.

 Guiana

Em Janeiro de 2021, foi registrado um terremoto de magnitude 5,7 com epicentro na Guiana e foi sentido na Região Norte do Brasil. De acordo com o Seviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), que monitora atividades sísmicas por todo o mundo, o epicentro foi registrado a cerca de 40 km da fronteira da Guiana com Roraima, a uma profundidade de 9,7 km. Moradores de Boa Vista, Manaus e da cidade de Georgetown, capital da Guiana, registraram o tremor. Também houve relatos de abalo na Venezuela, Suriname e no estado do Pará, no Brasil. 

 Venezuela

Em agosto de 2018, um terremoto de magnitude 7,3 atingiu a costa da Venezuela.  Segundo o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS), o tremor, cujo epicentro ocorreu perto da cidade de Guiria, foi sentido na capital, Caracas. Houve relatos de que também foi sentido no Norte do Brasil, em Boa Vista e Manaus, e também na Colômbia. 

 

 

Com informações do Portal Amazônia 

você pode gostar também
..