Ameaçado, o Festival de Parintins transforma-se no festival da farinha pouca, meu pirão primeiro!

Por Nárnia!

Que nós amazonenses adoramos uma “fofa” bem gostosa, ou seja, uma boa farinha, não é segredo para ninguém. Bem como, não é mais segredo para ninguém que o “Senhor da Cultura” não vai com as fuças de Caprichoso e Garantido e busca de todo modo “ajustar” o festival pagão-popular parintintin inserido em seu feudo [elitista] cultural. Em tempos tão difíceis, o ditado popular nunca fez tanto sentido para o atual momento do Reino Bumbalesco de mundo bovino, porém, cão dividido entre azul e vermelho órfão de pai e mãe a caminho do abismo e de pires nas mãos: “Farinha pouca, meu pirão primeiro!”. Sofrendo forte ameaça o maior festival folclórico da América Latina, um dos maiores do mundo, corre risco de vida. Fique por dentro dos últimos rebuceteios tribais:

 ouvido

BATEU…

O conselheiro azulado e radialista Gil Gonçalves na manhã da última terça-feira, 03, em seu programa de rádio, Fatos&Boatos, contestou o release do jornalista, compositor e assessor de imprensa do Boi Garantido Mencius Melo no qual descrevia o sucesso da Alvorada vermelha realizada no dia 30 do mês passado. Segundo Gonçalves, o jornalista e assessor deveria está louco e ser posto em uma camisa de força por dizer que a tradicional saída do Boi do Coração às ruas de Parintins acontecia a quase 08 décadas comparando a idade da Catedral de Nossa Senhora do Carmo como contra ponto à afirmação. Se a intenção do radialista era tirar uma onda/sarro conseguiu algo bem maior.

… LEVOU

Mencius Melo publicou em seu perfil pessoal no Facebook uma nota de esclarecimento, que o cretino colunista, literalmente, de segunda prefere chamar de “aula prática” para ignorantes, na qual, desconcertantemente, responde às falas de Gil Gonçalves. O encarnado fez uma breve resenha sobre o surgimento, desenvolvimento e autoafirmação do evento como o mais visceral e tradicional da Baixa do São José que sai às ruas na noite do dia 30 de abril e acorda a cidade ao alvorecer do dia 01 de maio aos pés da Santa Padroeira [em frente à Catedral de Parintins] agradecendo e pedindo suas bênçãos. Em outras palavras, o red aconselhou o azulado a estudar um pouco a história dos Bumbás antes de tecer qualquer comentário [mesmo que por brincadeira].

BOA MEMÓRIA…

Contudo, Mencius Melo foi um verdadeiro gentleman perreché ao sugerir que o conselheiro azulado  apenas estudasse, se quisesse poderia ter dito bem mais. O cretino colunista, literalmente, de segunda de memória falha, mas, que funciona bem, lembrar o rubro que: 1. Gil Gonçalves brincou no boi de Lindolfo Monteverde como tuxaua antes de encontrar abrigo no boi de Roque Cid; 2. Sua indelével, imensurável e histórica contribuição/ajuda no 19º título encarnado em 1997 quando entregou o título blue de mãos beijadas. O cretino colunista não é perreché tampouco gentleman, logo: loucura é falar o nome do governador durante a apresentação do boi quando o regulamento proibia tal ação  e louco é o apresentador que faz um boi dormir tetracampeão do festival, acordar derrotado por sua máxima e exclusiva culpa.

…MEMÓRIA BOA

Falando em Gil Gonçalves, uma espécie de “Robério Braga da Francesa” [sai presidente, entra presidente: lá está ele no Conselho] o conselheiro teria sido uma das razões que levou o diretor cultural Márcio Braz a deixar o Boi Caprichoso. Segundo fontes ouvidas pela coluna, o motivo seria a notória  divergência de opinião e conflito de temperamentos, um exemplo apontado fora a escolha do tema deste ano onde Braz teria rechaçado o tema sugerido pelo ex-colega de conselho [“Mistura de Gente Feliz”] e batido de frente com o mesmo que, supostamente, teria pedido a cabeça do diretor aos presis azulados.papo

MANA…

Há meses atrás os comentários nos corredores da Secretaria de Estado da Cultura (SEC) era em torno da informação de que o seu secretário estaria negociando com  a patrocinadora master do Festival de Parintins, a Coca-Cola, a redistribuição dos valores de patrocínio, ou seja, Robério Braga supostamente estaria conversando com a multinacional para dividir a cota de patrocínio dos boi para com outros eventos de sua pasta como o Festival da Canção de Itacoatiara e o Festival de Cirandas de Manacapuru devido ao corte de orçamento por ele administrado para a realização  dos projetos e das ações culturais  no Estado.

…MANÁ

Na tarde da última terça-feira, 03, o captador de recursos do Festival de Parintins André Guimarães, da Maná Produções, publicou em seu perfil pessoal no Facebook a seguinte pergunta: o que levaria uma autoridade do Estado tratar com os patrocinadores sob sua responsabilidade e fruto de uma parceria bem sucedida inventado mentiras e denegrindo a imagem de sua empresa?. Questionou, também, qual a real finalidade desta ação sob os patrocinadores senão, em grosso modo, ferrar com os bois e acabar com o festival. Mas, que esclareceria todas as suas dúvidas e o que de fato acontecera em sua viagem próxima a Manaus.

#FORA…

Ao tomar conhecimento da postagem de André Guimarães revelando a investida da autoridade do Estado [desconfia-se se tratar do eterno secretário de cultura] uma dupla de jornalistas indignados com a atual situação dos bois idealizou um twittaço com a hashtag #ForaRoberio e compartilhou nas redes sociais e em grupos de WhatsApp que reunem a imprensa da capital e de Parintins que trabalham diretamente na cobertura do Festival Folclórico. O protesto virtual foi realizado na noite de terça-feira e somou como mais uma ação contra o mandatário da pasta cultural do Estado e suas ações para com o Festival de Parintins.

…#ROBERIO

Márcia Nogueira, executiva da Maná Produções, captadora oficial do Festival de Parintins, publicou em seu perfil pessoal do Facebook uma carta aberta ao governador José Melo na qual tenta sensibilizá-lo diante do momento delicado e da situação calamitosa que se abateu sobre o festival. Parintinense da gema, Nogueira se posiciona contra a redução de mais 30% da cota de patrocínio que somado aos 20% do ano passado chega aos 50% como alternativa para reduzir custos no Estado e sugeri, indiretamente, que a redução seja feita cortando os gastos da SEC em hospedagens e passagens de terceiros que não contribuem em nada na organização e/ou na divulgação do festival e que custam ao erário público muito mais do que a cota de patrocínio destinadas aos bois.seo

– Ó  profano karajá red vem falar comigo!

– Diga, ó epílogo inã!

– Será o fim desenhado em curvas?

– Porque achas tal coisa, inã alesado?

– Ora… vejo a fera de cinzas da SEC emergi!

– Umbrosa sinistra é a tua visão, não achas?

– Apocalyptica! Creio ser o adjetivo mais correto, meu ancestral karajá.

– Inã curumim teu castigo com fogo será.

– Será?

– E com águas violentas!

– Esquecestes a parte mais reveladora desta toada/profecia.

– Qual?

– “Vou liberta o clã que na escuridão está em fúria. Da neblima sombria, os caminhantes que vêm em procissão. Renovo o templo da vida do povo karajá”.

– Off Line.orelha

Ora, propor ou até insinuar que o Conselho de Ética do Boi Caprichoso deveria tomar providências com relação aos sócios que foram ao lançamento do CD “Celebração” ou à Alvorada do Garantido [o cretino lembra-se da edição do ano passado onde viu muitos torcedores, funcionários, coreógrafos, ritmistas e até artistas azuis] é tão descabível quanto indecorosa. Cada pessoa, independentemente da cor do seu boi, tem o direito constitucional de ir e vir, além do que ir a um evento do boi contrário não deixa a pessoa menos Caprichoso ou menos Garantido: isso é de uma ignorância colossal. O Boi-bumbá passa por um momento tão delicado, passando das multidões para guetos que não se pode dar o luxo de um fanatismo irracional, a interação de ambos os públicos [azul ou vermelho] é vital para a sua sobrevivência enquanto produto comercial e cultural. O cretino colunista concorda que os frequentadores dos eventos contrários preservem suas paixões não trajando as cores do seu rival, agora rechaçar red ou blue por frequentarem o curral um do outro e evocar uma punição ética por tal é de uma tolice que extrapola a hipocrisia, beirando a imbecilidade. Menos… Bem menos!

rap

* Na última quarta-feira, 04, os presis bovinos Adelson Albuquerque e Joilto Azêdo tiveram uma reunião à porta fechada com o secretário Robério Braga para debaterem assuntos relacionados ao Festival de Parintins. O tempo fechou dentro da sala com o que foi dito pelo representante do governador José Melo. #RaiosRelampagosETrovões;

* Assessores presidenciais confidenciaram ao cretino colunista que a cara dos presis bumbalescos ao saírem da sala de reunião era semelhante a de dois lutadores que foram nocauteados por um jab bem encaixado. #FoiPunk;

* Segundo fontes ouvidas pela coluna, com ligações diretas com ambas as diretorias [blue e red], o anúncio oficial da cota de patrocínio para o Festival de Parintins deste ano será realizado hoje, segunda-feira, 09, na sede da Secretaria de Estado da Cultura (SEC). #Tensão;

* Estas mesmas fontes afirmam que a redução do patrocínio deste ano gire em torno de 30% a menos do que a cota de 2015, mas, que ficou bem claro pelo que foi dito na SEC que o corte afetará até a operacionalização do festival. #FacaNaCaveira;

* Faz parte da proposta do governo que os bois arquem com as despesas da operacionalização do evento, ou seja, que paguem os serviços de som, iluminação, saúde, segurança, bombeiro e logística (leia-se passagem, hospedagem, alimentação e translado dos jurados). #TomaQueOFilhoETeu;

* O grande público pode não saber, mas, os bois já “pagam” [há muito tempo] parte destas despesas de forma direta para o Estado. Cada boi repassa cerca de R$ 3 milhões a SEC para a operacionalização do Festival. Em 2015 o Governo do Estado disponibilizou R$ 9.653,152,64 para a realização do festival (http://www.amazonianarede.com.br/tudo-pronto-em-parintins-a-festa-vai-comecar-na-ilha/) incluídas neste valor as apresentações na arena e a parte operacional. #PagaPraVerAcontecer;

* Pra você, leitor, entender melhor: o Governo do Estado repassa a cota de patrocínio para as apresentações dos bois mais a cota para operacionalização do festival (som, iluminação, logística e etc.) essa cota entra nas contas dos bois e retorna para o Governo do Estado, automaticamente. Ou seja, dos R$ 9.653,152,64 disponibilizados em 2015, R$ 6 milhões voltaram para o Estado. #BonsPagadores;

* O que está tirando o sono dos presis bovinos Adelson Albuquerque e Joilto Azêdo é a proposta de repasse apenas da cota de patrocínio deixando a cargo dos bois as despesas para a operacionalização do festival. Tendo como base o valor do Boi de Arena de 2015, as apresentações custam para cada boi algo em torno de R$ 8 a R$ 9 milhões em um orçamento geral em torno de R$ 12 a R$ 14 milhões. #DeFatoPreocupante;

* Para realizar as apresentações e a operacionalização os bois precisariam de um orçamento, no mínimo igual ao de 2015 na somatória de todas as cotas. Mas, o que se tem até aqui são cortes e o, principal deles, o do Governo do Estado, em torno de R$ 30% é fatal: não haverá dinheiro para fazer as três noites e a realização do festival. A ameaça que antes era de apenas duas noites agrava-se, agora, com a possibilidade de uma única noite ou até mesmo [na pior das hipóteses] com o cancelamento do festival. #CenarioCritico;

* O festival desse ano terá uma disputa paralela, pelo menos na ala feminina e “quase feminina”, isso porque os bois resolveram dar um up grade na figura do Pai Francisco. Pelo lado red, o bom partido da ilha, João Paulo Faria [como bem disse Mencius Melo: sempre eles!] desde o ano passado ocupa o posto, mas, ganhou um rival à altura. Pelo lado blue, Felipe Camelo será o Pai Francisco na arena do Bumbódromo. #OxalaGracas;

Foto: Reprodução / Internet
Foto: Reprodução / Internet

* Felipe Camelo é o coreografo de Brena Dianná [o Furacão Tribal] que juntos arrebataram a arena do Bumbódromo com a apresentação de “Amazônia, nas Cores do Brasil”. Pelo visto, o que vai ter de Mãe Catirina em Parintins disputando os Pais Francisco não estará nos roteiros de apresentações. #PeguemASenhaFacamFilaENaoEmpurraAsColeguinhas;

* O último sábado foi recheado de estreias no mundo bovino: na TV ACritica estreou o programa Arena dos Bumbás com a apresentação de Carol Queiroz, produção de João Arthur e direção de Kid Mahal trazendo todos os sábados, a partir das 11h, até o festival, as novidades e as curiosidades de Caprichoso e Garantido, além de games e premiações; #Excelente;

Foto: Reprodução / Internet
Foto: Reprodução / Internet

* Na Rádio Difusora estreou o programa da dupla imbatível da rádio amazonense, Elieyde Menezes e Orlando Camara, o Cadência da Toada, com a produção mais do que luxuosa e competente de Larissa Balieiro tocando o melhor dos bumbás de Parintins com participações especiais, links, entrevistas e muito mais. Todos aos sábados a partir das 14h30. #ParabensATodosOsEnvolvidos;

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

* Depois do estrondoso sucesso da “Tapioca Perreché”, lançada na semana vermelha, chegou a vez da “Tapioca Pavulagem” rebucetear a ilha. A iguaria inspirada no Boi Caprichoso e que traz em seu nome algo tão típico e peculiar do parintinense foi lançada no último sábado, 07, no Espresso Parintins, localizado no Super Baranda. O evento contou com toda pompa e circunstância e fora prestigiado por torcedores, simpatizantes, clientes e convidados mais do que especiais do eixo SP-MAO-PIN. #Arrasaivos;

Fotos: Divulgação
Fotos: Divulgação

* O Movimento Amigos do Garantido (MAG) surpreendeu a todos os bovinos, principalmente, aos torcedores reds ao anunciar o curral do último sábado, 07, como não sendo o esperado [e óbvio] lançamento do CD “Celebração” para o público manauara. Ao invés disso, o curral encarnado teve a luxuosa participação do eterno “Garotinho de Ouro”, o ex-apresentador Paulinho Faria como atração principal da noite. #OMelhorDeTodos;

Foto: Mairkon Castro
Foto: Mairkon Castro

* A causa da data alternativa seria a ida dos itens oficiais para a Alvorada do Boi Garantido em Juruti, onde o CD“Celebração” também seria lançado, desfalcando a festa organizada pelo MAG na capital. #MudancaDePlanos;

* Porém o Diretor de Eventos do MAG, Rivaldo Pereira, anunciou que a festa de lançamento do rubro CD em Manaus acontecerá no próximo curral, no dia 21 de maio, na eterna casa dos bumbás: o Sambódromo. #TaGarantidoADataeoLocal;

* Prestou: 1. Roberley Assis mandou muito bem esquentando a galera; 2. Paulinho Faria fez um show das antigas relembrando os bons tempos da brincadeira de Boi-Bumbá; 3. Leonardo Castelo fechou com chave de ouro com as toadas 2016; 4. A banda Base, liderada por Valteir Almeida, que fez o cretino colunista se arrepiar diversas vezes, principalmente na toada Juma dos compositores Ronaldo Barbosa Jr. e Rafael Marupiara e vamos combinar: o  solo do teclado e da guitarra desta obra [prima] é qualquer coisa de sobrenatural. #DestaquesDaNoite;

* Não prestou: o pouquíssimo público; as falhas de som no show principal; e a Batucada no palco [não por erros e, sim, pelo posicionamento]. #PodeMelhorar;

* O que aconteceu no último Bar do Boi, repetiu-se no Curral do Garantido no último sábado, 06, quando em decorrência de falhas no retorno de som o show foi parado sem ao menos o ex-apresentador Paulinho Faria cantar a primeira toada do repertório. Educadamente, como um verdadeiro lord, o artista fez um sinal para a Batucada e a banda parar para que fosse realizado o ajuste nas caixas voltadas para ele. #OCaraEOCara;

* O show ficou parado por cerca de 03 minutos, recomeçado apresentou o mesmo problema: Paulinho não conseguia ouvir o retorno. Fato que era mais do que lógico: o puseram à frente da Batucada, quando a banda e a batucada começavam a tocar sobrepunha o retorno deixando o artista, literalmente, perdido. O problema durou até a quarta toada antes de ser resolvido, ao final do show, humildemente, pediu desculpas do público pelo ocorrido. #RespeitoAoTorcedor;

* Dois monentos do show de Leonardo Castelo despertaram sentimentos muitos distintos no cretino colunista: tristeza e saudade. Tristeza ao ouvir [e ver] a poesia resistência de César Moares, Eu sou a Toada, cantada para um curral quase que vazio e saudade quando, na sequência, o levantador cantou Nova Evolução que remeteu o cretino colunista a um Olímpico Clube até o tucupi de gente em um côro uníssono e uma coreografia única. #RealidadeELembrancas;

* Passados os primeiros ensaios encarnados o cretino colunista atreva-se a apontar a tríade [tanto pela toada quanto pela coreografia] que faz a cabeça, os ouvidos, pernas e braços dos frequentadores do Curral do Garantido: 1. Monstro Apuritã de Maurício Filho e Ademar Azevedo; 2. Ritual Karajá de Paulinho Dú Sagrado e; 3. Caldeirão Vermelho, também, de Maurício Filho e Ademar Azevedo. #OPovoDancaComVontade;

* Nos ensaios do Boi Caprichoso a tríade que faz a galera dançar é: 1. Somos Marujada de Guerra dos compositores Dodozinho Carvalho, Carlos Kaita e Joel Maklouf; 2. Gira a Camisa Azulada  dos compositores Carlos Kaita, Joel Maklouf, Roberto Soares e Alexandre Azevedo e; 3. Viva Parintins! de Adriano Aguiar. #OPovoDancaComVontade2;

* No Camarote da Impresa aos cuidados de Chris Reis: o diretor Kid Mahal, Cris Batista, Eric Campos, Nilo Diogo, Hugo Araújo, Cleomir Santos, Mairkon Nazaré, Édria Caroline, Luciano Bittencourt e tantos outros da  animada turma do jornalismo amazonense sob o patrocínio da Tacacaria Parintins e Moto Honda. #Agitado;

* No Camarote da Presidência aos cuidados de Karen Pontes: o rubro presis Adelson Albuquerque,  Roseani Novo, André Guimarães, Yzoney Thomé [presis do MAG], Márcia Siqueira, Alfredo Campos, as representantes da Ambev Magda e Stefany entre outros; #Concorrido;

* No Camarote do Bradesco aos cuidados de Juliana Delmiro: Edmundo Neto, Rafaela Medeiros, Michel Dias, Gustavo Medeiros, Renata Pascareli, Daniel Lacerda, Lorena Divino e Naimy Nomiyama foram alguns vips que passaram por lá. #Disputado;

* No Camarote de Ana Paula Perrone, além da anfitriã: Fred Góes, Clemilto Pinto, Eliseu Júnior, Mirna Pinto e Rubens Alves. #Efervecente;

* Os bois Caprichoso e Garantido e seus tripas Marquinho Azevedo e Denildo Piçanã, respectivamente, estiveram no Rio de Janeiro para gravar o mais novo filme publicitário do Bradesco, um dos patrocinadores do Festival Folclórico de Parintins. A premiada produtora Platinum FMD é a responsável pelo filme que mostrará os protagonistas de Parintins nas telinhas das principais emissoras do pais. #PorIssoSaoTudoDeBra;

Foto: Assessoria de Imprensa / Divulgação
Foto: Assessoria de Imprensa / Divulgação

alvo

7

8

9

10

11

É só por hoje…

… Por hoje!

Até a próxima…

#SouVitima!

você pode gostar também