Ancião Sateré-Mawé é o primeiro indígena de Barreirinha morto por Covid-19 em seis meses de pandemia

Foto: Arquivo/Divulgação

Da Redação

Parintins (AM) – O tuxaua da comunidade indígena Boa Vista, no Rio Andirá, Plácido Dias de Oliveira, 80 anos, é a primeira vítima do novo coronavírus no município de Barreirinha. A liderança do povo Sateré-Mawé era hipertenso e teve Síndrome Respiratória Aguda Grave causada pela contaminação da Covid-19, de acordo com a diretora do Hospital Dr. Jofre Matos Cohen, Joseane Mascarenhas.


Plácido Oliveira foi transferido pelo Distrito Sanitário Especial Indígena (Dsei) Parintins para o hospital de referência de tratamento de pacientes com Covid-19, no interior do Amazonas, com sintomas como falta de ar e testou positivo para o coronavírus, no dia 08 de setembro. O indígena recebeu atendimento médico especializado, mas não resistiu às complicações, no dia 29 de setembro.
A diretora do hospital Jofre Cohen informa que mais quatro indígenas Sateré-Mawé estão internados na unidade de alta complexidade em Parintins, com quadro de saúde que exige cuidados especiais. Conforme estatística divulgada pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), o idoso foi o primeiro óbito de indígena registrado em Barreirinha, em seis meses de combate à pandemia.

você pode gostar também