Antes de morrer, santarena vítima de naufrágio disse que estava cansada de trabalhar viajando e queria cuidar do filho

Corpo de Clediane Rodrigues foi encontrado na sexta-feira (6) e será trasladado para Santarém, onde será sepultado. Jovem trabalhava no bar da embarcação.

Uma das vítimas do naufrágio com o navio Anna Karoline 3 era uma santarena, que trabalhava no bar da embarcação. Momentos antes de morrer, Clediane Rodrigues em conversa com uma amiga disse que estava cansada de viagens e que queria parar, para cuidar do filho. O corpo da jovem foi encontrado na sexta-feira (6).

Ainda de acordo com o trecho da conversa, divulgado pela amiga de Clediane, a jovem tinha arrumado um namorado, mas que o rapaz queria que ela ficasse em Santana. Clediane, no entanto, já tinha manifestado o desejo de largar o trabalho na embarcação para cuidar do filho que mora em Santarém.

Antes da embarcação sair de Macapá, a jovem chegou a informar para familiares que estava preocupada. Clediane disse que o navio estava com muita carga e que a água já estava invadindo a embarcação.

Este foi o segundo acidente com embarcação que Clediane se envolveu. Em novembro de 2019 a jovem estava em outra embarcação que pegou fogo próximo à área urbana de Santarém. A embarcação também saiu de Macapá. Ninguém morreu.

  • Capitania abre inquérito para investigar causas do incêndio em balsa no Rio Amazonas

Desta vez o desfecho para a jovem santarena foi diferente, Clediane não conseguiu sobreviver. O corpo da vítima só foi encontrado na sexta-feira (6), quando mergulhadores conseguiram entrar na embarcação e abrir as portas dos camarotes.

O corpo de Clediane está em Gurupá, no Pará, e será trasladado para Santarém neste domingo (8), onde será sepultado. A jovem deixa um filho.

O naufrágio

O Anna Karoline 3 saiu por volta das 18h de sexta-feira (28) de Santana, no Amapá, em direção a Santarém, no Pará. A viagem entre as duas cidades dura, em média 36, horas. A previsão de chegada em Santarém era às 6h de domingo (1º).

Mas a viagem foi interrompida na madrugada de sábado, próximo à Ilha de Aruãs e à Reserva Extrativista Rio Cajari, no Rio Jari (veja no mapa abaixo). A região fica a 130 km de Macapá, em um local de difícil acesso e comunicação – o chamado de socorro foi feito às 5h, e o helicóptero de resgate do governo do estado só chegou ao local por volta das 14h de sábado.

O Corpo de Bombeiros afirmou que não há um número oficial de vítimas, pois a embarcação não tem uma lista de passageiros para orientar as buscas, mas acredita-se que estavam sendo transportadas no mínimo 60 pessoas.

Mapa mostra local do naufrágio no Sul do Amapá — Foto: Aparecido Gonçalves/G1
Mapa mostra local do naufrágio no Sul do Amapá — Foto: Aparecido Gonçalves/G1

Com informações do g1

você pode gostar também