Após mudança de protocolo, Parintins registra queda nas internações por Covid-19

Dos picos de mais de 100 internações no mês de fevereiro, Parintins registrou nas últimas semanas a metade de casos no hospital Jofre Cohen, referência no tratamento da Covid-19. A última semana de março mostra um gráfico em declínio de pacientes que são tratados dentro daquela unidade de saúde. Além do tratamento, as proibições de pessoas também contribuíram para o saldo positivo.

No dia 05 de fevereiro Parintins registrava 158 pessoas internadas no Jofre Cohen, sendo 84 casos confirmados de Covid-19 e 74 pacientes com Síndromes Respiratórias Graves (SRAG). Foi um dos maiores picos alcançados no ano, quando o município contabilizava 211 óbitos. A partir da data, muitos procedimentos foram alterados e uma das medidas mais diretas foi a limitação de acompanhantes nas enfermarias.

Os números de internações começaram a cair. No início de março, o hospital contava com 71 internos (03.03). A última semana também acompanhou a curva em declínio. No dia 12 deste mês o número de pacientes não chegou nem à metade do pico do mês anterior, com apenas 61 leitos ocupados.

Ao longo da semana passada os números oscilaram, porém se mantendo em queda, na grande maioria. No último Boletim Oficial da Secretaria Municipal de Saúde desta segunda-feira, 15.03, às 12h, Parintins possuía 67 pessoas internadas, número que também não chega à metade da maior alta registrada no mês de fevereiro.

O diretor do hospital Jofre Cohen, Josimar Marinho, destacou o trabalho da equipe de saúde e as medidas adotadas para evitar o contágio. Uma das ações é a própria limitação de acompanhantes na unidade hospitalar. Porém, Josimar afirma que não deixou os familiares dos pacientes sem informações.

O hospital criou meios para que os doentes mantivessem contato com as famílias através de vídeos chamadas. A direção da unidade envia também boletins às segundas, quartas e sextas-feiras às 15:30h para cada família. “Com esse serviço as pessoas não precisam mais vir aqui no hospital. Basta passar o contato que nós passamos as informações. Assim, nós vamos diminuir a propagação do vírus, porque evita as pessoas a virem ao hospital. Isso vem pra somar e fazer a humanização do paciente”, disse o diretor.

você pode gostar também