Arábia Saudita terá multa ou prisão para quem olhar celular do cônjuge

Maridos ou esposas "espiões" poderão ser ter de pagar multa de 133 mil dólares ou serem presos por até um ano

A Arábia Saudita aprovou uma lei que impede os cônjuges de acessar ilegalmente os telefones do companheiro, com penas que vão de multa a prisão.

De acordo com a Gulf Digital News, citando fontes legais, se espionados em smartphones um do outro, maridos e esposas vão pegar até um ano na prisão e terão que pagar uma multa de 133 mil dólares.

Tais penalidades serão aplicadas aos parceiros que compartilham ou enviam as informações que obtiveram acesso. Se acessarem o telefone sem usar os dados, os cônjuges receberão uma advertência do juiz, dependendo das circunstâncias do caso e dos danos causados à pessoa cujo telefone foi rastreado.O assessor jurídico Abdul Aziz bin Batel disse à Al-Arabiya que qualquer penalidade cometido usando computadores, smartphones e câmeras será vista como um cibercrime e será punido de acordo.

“O artigo especifica que as punições visam aqueles que cometem crimes de informação, ou seja, tocando, interceptando ou compartilhando através da internet, sem justificativa ou ameaça ou extorsão”, explicou Batel.

A Arábia Saudita não é o único país em que espionar o telefone do seu cônjuge é ilegal; em 2016, uma mulher árabe expatriada que vivia nos Emirados Árabes Unidos foi multada e deportada porque checou o telefone do marido sem a permissão dele, suspeitando que ele estava tendo um caso. Depois de acusá-lo de infidelidade, ele apresentou uma queixa ao tribunal por acesso ao seu telefone e envio de informações sem o seu conhecimento.

Com informações do Sputnik News Brasil.

você pode gostar também