Arte sem fronteiras: Coreógrafo amazonense Wilson Júnior vai ministrar oficina de boi bumbá em Fortaleza

O coreógrafo amazonense Wilson Júnior vai ministrar uma oficina chamada Boi de Quilombo na próxima segunda-feira (10) em Fortaleza, no Ceará.

Coreógrafo amazonense Wilson Júnior

A iniciativa do projeto faz parte da Instituição Katiana Pena, que reúne os melhores bailarinos e coreógrafos de todo o Brasil. Wilson se mostrou bastante empolgado com a oficina e agradeceu o convite do instituto.

“Confesso que eu não esperava esse convite da instituição, mas agradeço muito pela lembrança, isso é resultado de um trabalho sério e com credibilidade, tudo que faço na minha vida é com amor à arte”, revela Wilson.

Wilson ainda revelou que, em tom de brincadeira, vai “fazer os alunos suarem a camisa”.

Boi de Quilombo

O projeto Boi de Quilombo tem a missão de ensinar os valores da cultura popular através do boi bumbá de Parintins, explanando a influência da comunidade negra.

De acordo com Wilson, a oficina é muito importante para que as pessoas conheçam a essência do boi bumbá e valorizem a cultura popular.

“A cultura popular está em tudo ao nosso redor, nas brincadeiras de rua, nas quadrilhas, nas folias de reis, no congado. Enfim. Em vários lugares. As pessoas precisam conhecer a arte do boi bumbá, tenho certeza que será um momento importante para todos”, frisou.

A oficina será destinada para pessoas de 07 a 35 anos, totalmente gratuito.

Repertório

Governo do Amazonas 2

O Boi de Quilombo terá um repertório totalmente voltado com toadas de Caprichoso e Garantido com temáticas voltadas à cultura africana.

Wilson separou seis toadas: As Cores da Fé (Garantido), Aruanda: As Três Princesas (Caprichoso), Boi de Encantaria (Caprichoso), Boi de Negro (Caprichoso), Consciência Negra (Garantido) e Terra Mãe Ancestral (Caprichoso).

Os movimentos serão uma mistura de dança contemporânea com o afro.

Sobre Wilson Junior

Wilson Junior é natural de Manaus, possui 20 anos de carreira artística, todos dedicado à dança.

Durante 10 anos foi integrante do Balé Folclórico do Amazonas, entretanto, seus principais trabalhos foram com a Instituição Cultural Arte Sem Fronteiras, no qual é coreógrafo e fundador.

Possui formação acadêmica em Dança pela Universidade Estadual do Amazonas (UEA).

O Arte Sem Fronteiras foi fundado em 2008, desde então, o grupo realiza inúmeras apresentações no Amazonas e outras cidades do Brasil.

A companhia já participou de festivais como o Festival Folclórico de Parintins, pelo Boi Caprichoso, Festival de Dança de Joinville e Festival Folclórico do Amazonas.

Além disso, o grupo também coleciona trabalhos ao lado de artistas como James Rios, Márcia Siqueira, Klinger Araújo, David Assayag e foi responsável pela comissão de frente da escolas de samba como Sem Compromisso, Balaku-Blaku e Vitória Régia.

Texto: João Paulo Castro
Fotos: Reprodução/Facebook e Dheyson Lima

você pode gostar também