Artistas de alegorias do festival de Parintins lutam para superação da Covid-19

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – Dois artistas plásticos renomados no Festival Folclórico de Parintins, Jair Mendes, 77 anos, e Ozeas Bentes da Silva, 57 anos, travam uma batalha contra um inimigo invisível, a Covid-19. Os dois, acostumados a brilharem na arena do Bumbódromo, com gigantescas alegorias, reagem bem ao tratamento especializado, em Manaus.

O mestre Jair Mendes, como é conhecido o artista que deu movimentos robóticos às alegorias e ao boi de pano, encontra-se internado no Hospital da Samel. “Peço para vocês não se preocuparem, pois estou bem mesmo, encaminhado por Deus. Tomem cuidado com isso e que saibam que meu irmão pegou e já está bem, o Gilberto”, alertou Mendes.

O artista pioneiro do festival de Parintins foi diagnosticado com Covid-19, no dia 14 de maio, ao sentir sintomas como falta de ar e tosse. A princípio, Jair Mendes que atua no Boi Garantido, foi internado no Hospital Jofre Cohen, em Parintins. No dia 15, o Hospital Samel mandou buscar o maior artista de Parintins e assumiu o tratamento especializado.

Nira Mendes, filha de Jair, informou nesta sexta-feira, 22, que o pai tem quadro de saúde estável e reage bem ao tratamento. Já Ozeas Bentes, que mora em Manaus, sentiu os primeiros sintomas como febre, cansaço, dor de cabeça, no corpo e no peito, no dia 26 de abril. O artista, que faz parte do quadro do Boi Caprichoso, ficou muito debilitado, sem poder andar e falar.

Ozeas teve um pequena melhora. A esposa do artista plástico, Sinara Carvalho Machado, 45 anos, informou que o marido recebeu os primeiros cuidados em casa e, depois em uma clínica particular, em Manaus, porém o resultado do exame comprobatório para Covid-19 saiu apenas nesta quarta-feira, 20, após ter sido feita uma tumografia.

O exame mostrou que a doença compromoteu o pulmão. Ozeas terá que fazer um novo tratamento. “Ele já tinha feito o primeiro tratamento e não melhorou 100%, só um pouquinho. O pulmão dele ainda está bem debilitado. Então ele precisa fazer de novo esse tratamento  senão ele pode ter uma recaída, não resistir e ficar com sequelas”, desabafou.

Segundo Sinara Machado, o médico disse que Ozeas ainda transmite o vírus e que o tratamento será por meio de medicamentos de manipulação. Ao apresentar suspeitas de ter contraído a doença, uma corrente de solidariedade tomou conta das redes sociais para arrecadar recursos em prol ao custeio do tratamento do artista parintinense.

As pessoas podem contribuir com doação de frutas ou depósito em dinheiro na conta poupança de Ozeas Bentes. Para ajudar os artistas infectados, a Associação dos Artistas Plásticos de Parintins (AAPP) promoveu de 17 a 19 de maio um leilão solidário de quatro telas produzidas com a técnica de pintura óleo sobre tela.

As obras eram do acervo do Concurso de Telas para a Escolha da Imagem do Cartaz Oficial do Festival Folclórico de Parintins, realizado até o ano de 2019. As obras foram leiloadas a partir de R$ 500,00, e o dinheiro arrecadado destinado para amenizar as dificuldades Ozeas Bentes, entre outros associados que também foram contaminados.

você pode gostar também