Assaltantes espalham terror em loteamentos

Assaltos à mão armada, arrombamentos, roubos e furtos de jóias, eletrodomésticos, roupas, animais domésticos e outros pertences de famílias que residem em áreas de loteamentos têm gerado medo e, em alguns casos, abandono de lotes e imóveis residências.

Entre os exemplos estão as áreas dos loteamentos Tonzinho Saunier e Jacareacanga, Zona Sul da Ilha. A ousadia dos bandidos é tamanha que estão atuando em plena luz do dia, intimidando as pessoas e violando as moradias para levar o que tiver disponível.

Na tarde de sexta-feira, 03, um casal de professores teve a residência arrombada e os ladrões levaram um aparelho de televisão marca Sony, 32 polegadas, cartão de crédito e outros objetos menores. “Não levaram mais, porque não conseguiram passar para outro cômodo da casa”, disse o proprietário, que preferiu não revelar seu nome.

O templo da Igreja Batista Regular Shekinah, na Rua Tucumã, Tonzinho Saunier, já foi arrombado mais de vinte vezes. “E nunca recuperamos nada.

Não se tem ânimo nem de ir à polícia denunciar”, diz um dos dirigentes da Igreja. Daquele segmento evangélico os ladrões levaram desde telhas, cimento, aparelhos eletroeletrônicos até instrumentos musicais.

O Pastor Leomir, líder da comunidade evangélica, lamenta os prejuízos já contabilizados pela Igreja. Segundo ele, nem as grades de proteção foram poupadas.

Os bandidos arrumam jeito pra tudo. A maioria dos arrombamentos e furtos na Igreja ocorreu em plena luz do dia. Enquanto isso outros moradores lamentam a falta de segurança que domina a cidade.

Segundo eles, poucas pessoas têm coragem de denunciar, com medo de represália dos bandidos. “Aqui tem vários lugares aonde os ladrões se reúnem para fumar maconha, consumir drogas e planejarem os roubos”, diz um jovem que pediu para não ter seu nome divulgado.

À noite os ladrões atacam galinheiros e outras criações domésticas. São dezenas de aves levadas dos quintais, além de roupas, ferramentas e outros pertences esquecidos pelos moradores do lado de fora das casas.

Outro material preferido pela bandidagem é o fio elétrico. “Ás vezes, a gente pensa que a energia foi embora. Pela manhã vai ver que os fios foram roubados. É uma falta de respeito pelo ser humano”, comenta um morador que teve toda a fiação externa de sua residência levada pelos ladrões que atuam no Tonzinho Saunier. O abandono em que se encontra o sistema de Iluminação Pública pela Prefeitura também é apontado como forma de incentivo aos bandidos que atuam no bairro.

“Pagamos caro, todos os meses, para ficar na escuridão. Para onde está indo esse dinheiro todo que sai do nosso suor para as mãos do prefeito?

Se a gente quer um mínimo de iluminação, tem que comprar fios e lâmpadas para colocar nos postes. Mesmo assim, os ladrões vêm e levam tudo”, reclama um morador da Rua Taperebá.

Floriano Lins | Plantão Popular

você pode gostar também