“Atira em mim, mas não mate minha filha”, diz mãe de jovem morta com tiro no rosto em Manaus

Anna estava internada no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio e faleceu dois dias após ser baleada. Foto: Arquivo Pessoal

A adolescente Anna Cristina Rodrigues de Souza, de 15 anos, morreu, na manhã deste domingo (27), no Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio, na zona leste, dois dias após ser atingida com um tiro no rosto, por um homem, em frente à casa onde morava com a família, no bairro São José. As informações são da mãe da jovem, a auxiliar de serviços gerais Ivanilde Rodrigues de Souza, 40, que presenciou o crime.

De acordo com Ivanilde, o motivo de terem assassinado a filha foi porque a família não compactuava com o tráfico de drogas na área. Após ameaças de um dos chefes do tráfico, na última sexta-feira (25), por volta das 19h, Anna foi abordada em frente à residência.

“Eles pensavam que nós os havíamos denunciado à polícia. Minha filha já vinha sendo ameaçada, nossa família toda, aliás. Dois bandidos foram até a minha casa discutir com ela, por conta dessa situação. Tentei separar a briga e disse para o traficante “atira em mim, mas não mate a minha filha”, mas nada adiantou, porque o comparsa dele atirou nela”, contou a mãe, que preferiu não revelar os nomes dos suspeitos.

A auxiliar de serviços gerais informou, também, que esse é o segundo filho que ela perde em menos de seis meses. No dia 18 de outubro de 2015, o outro filho, o lavador de carros Luciano Rodrigues de Souza, 22, foi executado com sete tiros na cabeça, no Beco Boa Sorte, bairro São José.

A mulher relatou que ele vinha sendo perseguido e ameaçado de morte, desde julho do ano passado, quando dez homens armados invadiram o beco, mataram duas pessoas e feriram outras seis. Na época do crime, a equipe de investigação da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) relatou que o motivo teria sido um acerto de contas motivado pelo tráfico de drogas na área.

“Agora, precisamos nos mudar. Ainda tenho uma filha de 12 anos. Vamos tentar sair desse pesadelo. Eu não aguento mais sofrer. Você sabe o que é perder dois filhos para a violência? Nunca mais vou ver meus filhos. Tudo o que eu quero agora é justiça”, afirmou.

Os autores do crime ainda não foram identificados, segundo a equipe da DEHS. Na manhã desta segunda (28), a polícia relatou que testemunhas do crime deverão ir à delegacia para tentar identificar os suspeitos que mataram Anna, e verificar se o crime tem relação com o assassinato do irmão dela.

Fonte: d24

você pode gostar também