-Publi-A-

Atmosfera de Plutão

Fig01: New Horizons

Desde que a New Horizons [ver figura 01] aproximou-se de Plutão, há um ano, os astrónomos têm se dedicado ao estudo profundo do planeta-anão.

Recentemente, os investigadores da NASA revelaram que a sonda capturou as primeiras ocultações de estrelas ultravioletas pela atmosfera de Plutão. O estudo da atmosfera plutoniana foi classificado como uma das metas mais importantes desta missão e abre caminho para a compreensão da formação dos planetas gasosos e do passado do Sistema Solar.

Fig02: Atmosfera de Plutão.
Fig02: Atmosfera de Plutão.

A máxima aproximação entre a New Horizons e Plutão deu-se no dia 14 de julho de 2015, oportunidade em que a sonda encontrava-se a 320 mil quilómetros de distância do planeta-anão. Foi necessário pouco mais de quatro horas para que o espectrómetro ultravioleta Alice, que está a bordo da sonda, observasse a passagem de duas estrelas (também ultravioletas) muito  brilhantes por trás do planeta-anão e da sua atmosfera. O instrumento alegou que o brilho de cada estrela reduziu enquanto passava pelas camadas cada vez mais profundas da atmosfera plutoniana, que é composta por muitos gases e neblinas. Semelhantemente à ocultação solar, as ocultações estelares são úteis para obtermos detalhes sobre a composição e estrutura da atmosfera planetária. Esse fenómeno dá-nos  os espectros do azoto e hidrocarbonetos, além de informações sobre a neblina.  Foram identificados  metano e acetileno na atmosfera plutoniana.

Fig03: Ocultação de duas estrelas.
Fig03: Ocultação de duas estrelas.

 

Fig04: Imagens das observações de Alice.
Fig04: Imagens das observações de Alice.

Outra informação importante é o facto de os resultados das ocultações solar e estelar estarem em concordância tanto para pressão quanto para a temperatura da atmosfera plutoniana. Isto implica que Plutão apresenta uma distribuição quase uniforme de azoto, metano e hidrocarbonetos, na maioria das localizações do planeta. Na prática, nota-se [conforme mostrado na figura 02] que a atmosfera plutoniana é azulada. Alice permitiu a confirmação de que a temperatura da atmosfera superior de Plutão é cerca de 25% mais fria que a inferior.

A New Horizons também estudará outros cinco objectos próximos à Plutão. Em jogo encontramos probabilidade de haver a queda da teoria que sugere novas “luas” para o planeta-anão. Porém, essa parte passa a classificada como: “cenas do próximo capítulo.” Até a próxima.

Dr. Nélio Sasaki – Doutor em Astrofísica, Líder do NEPA/UEA/CNPq, Membro da SAB, Membro da ABP, Membro da SBPC, Membro da SBF, membro da UAI, membro da PLOAD/Brasil e ST/Brasil, Revisor da Revista Areté, Revisor da Revista Eletrônica IODA, Revisor ad hoc do PCE/FAPEAM, Coordenador do Planetário Digital de Parintins, Coordenador do Planetário Digital de Manaus, Professor Adjunto da Universidade do Estado do Amazonas (UEA).
você pode gostar também