Barco de Tefé é denunciado por transporte clandestino intermunicipal durante lockdown

Foto: Divulgação

Manaus (AM) – A embarcação Comandante Severino Ferreira desobedece decreto do Governo do Amazonas e do Município de Tefé. Mesmo com a restrição de transportarem psssoas, o barco é denunciado, nas redes sociais, ao conduzir ilegalmente passageiros, com destino ao município do interior do Amazonas, a 520 quilômetros de Manaus.


De acordo com o Decreto nº 42.087, de 19 de março de 2020, ficaram suspensos o transporte fluvial de passageiros em embarcações, exceto casos de emergência e urgência. O Decreto de Tefé nº 254, de 30 de março, dispõe sobre a suspensão temporária do transporte fluvial de passageiros em barcos de linha, à exceção dos casos de emergência e urgência.

Com isso, ambas as resoluções são desrespeitadas simultaneamente pelo barco Comandante Severino Ferreira. Uma das denúncias apontou que a embarcação chegou a largar os passageiros no meio do rio Solimões, para os mesmos pegarem uma lancha, seguirem em direção à Tefé e, assim, evitasse ser flagrada em situação de transporte clandestino.

Um morador da comunidade rural Vila Valente não apenas testemunhou, como registrou e compartilhou nas redes sociais, como alerta às autoridades tefeenses. Janderson Lemos denunciou, no sábado (02) que o barco Comandante Severino Ferreira havia desembarcado pessoas, por volta das 18h30, em frente a comunidade Vila Valente, para uma lancha.

Depois disso, os passageiros seguiram de lancha em direção à cidade de Tefé. Novamente, a denuncia foi para alertar as autoridades tefeenses do transporte clandestino de passageiros. Além desse relato, um outro morador, este do município de Coari, denunciou que a embarcação passou pela cidade e levaria um casal para Tefé.

O internauta, chamado Paulo Jorge, denunciou no Facebook que o barco Comandante Severino Ferreira pegou passageiros de Coari para Tefé, na noite de sexta-feira (08), três dias após o decreto de Lockdown (bloqueio total) publicado pela Prefeitura Municipal de Tefé que restringe ainda mais a circulação de pessoas na cidade.

De acordo com a denúncia, o casal ia lara Tefé, com a autorização feita em Coari. A publicação foi mais um alerta às autoridades tefeenses. A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS), Rosemary Pinto, informa que os passageiros em viagens clandestinas são os responsáveis pelo aumento de casos no interior.

O vírus chegou aos municípios, por meio das embarcações. O empresário Nicson Marreira, proprietário do barco Comandante Severino Ferreira, ao ser questionado em relação as denúncias de transporte irregular de passageiros para Tefé e comunidades, mesmo com dois vigentes, negou: “Não procedem essas informações”.

O transporte de pessoas aos municípios do interior do Amazonas está suspenso por decreto estadual, como medida de combate ao novo coronavírus. A Polícia Militar e a Marinha do Brasil fazem as fiscalizações das viagens para verificar as possíveis irregularidades. O município de Tefé tem 362 casos confirmados da doença e já possui 21 óbitos.

você pode gostar também