Barreirinha decreta fechamento total e multa para quem descumprir isolamento contra Covid-19 

Foto: Kalloan Lopes

Para contribuir com o achatamento da curva do coronavírus, em decorrência de 54 casos positivos, hoje, a Prefeitura de Barreirinha decretou o fechamento total de atividades administrativas, comerciais e bancárias, por 15 dias. As regras mais rígidas foram anunciadas pelo prefeito Glenio Seixas, com a publicação de decreto no Diário Oficial dos Municípios do Amazonas, na segunda-feira (11).


O documento estabelece diretrizes para o Lockdown, isolamento social e novas medidas restritivas. O decreto determina que o descumprimento implica em apreensão e multas de até R$ 50 mil, à pessoa física; até R$ 100 mil para pessoas jurídicas; até 500 mil às embarcações, em caso de transporte irregular de passageiros. O infrator poderá responder civil e criminalmente pela desobediência.

O confinamento total segue recomendação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) e da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM). A Promotoria de Justiça de Barreirinha acatou solicitação do Poder Legislativo, que pediu o fechamento geral dos estabelecimentos comerciais de serviços no ramo de gêneros alimentícios, combustíveis, farmácias e drogarias, etc.

A fim de evitar as aglomerações recorrentes no município nesse período de quarentena, o novo decreto impõe mais rigidez sobre as atividades comerciais e financeiras como: comércio e serviços essenciais, pelo prazo de 15 dias. De acordo com as regras impostas pela Prefeitura de Barreirinha, irão funcionar apenas com serviço de entregas em domicílio (delivery).

Encaixam-se nessa modalidade mercados, supermercados, padarias, açougues, restaurantes, lanchonetes, postos de gasolina (apenas para venda de derivados de petróleo e gás de cozinha), drogarias, farmácias, loja de produtos agropecuários e pet shop. Agências bancárias, expressos, loteria, Correios e demais instituições financeiras estão proibidas de funcionar durante a vigência do decreto.

O documento ressalta que Barreirinha encontra-se em estado de calamidade pública, por causa das complicações sanitárias, devido ao aumento do número de casos da Covid-19. O prefeito Glenio Seixas enfatiza que o decreto é um ato sacrificante para muitos. “Sem essas medidas, não será possível diminuir os números da pandemia no município, que só crescem a cada dia”, pontua.

você pode gostar também