-Publi-A-

Bispo de Parintins vai enviar Carta de Renúncia ao Papa Francisco

Eldiney Alcântara | 24 Horas
[email protected]

Após 21 anos no comando da Igreja Católica no Baixo Amazonas, o bispo da Diocese de Parintins, Dom Giuliano Frigenni, anunciou que deve entregar Carta de Renúncia ao Papa Francisco em 2022. O sacerdote informou a decisão na coluna Poder do site Koiote.com nesta sexta-feira, 12 de março.

Dom Giuliano informou que deve apresentar o pedido de renúncia no dia 1º de julho de 2022, quando completa 75 anos. De acordo com o item 401 do Código de Direito Canônico:  “ao bispo diocesano que tiver completado 75 anos de idade, é solicitado apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice”. Até a data, Dom Giuliano afirma que pretende se dedicar aos problemas atuais da Diocese de Parintins, que reúne ainda os municípios Nhamundá, Boa Vista do Ramos, Barreirinha e Maués.

Entre as principais preocupações do sacerdote está a luta contra a Covid-19, uma vez que muitas famílias vivem as consequências da doença e a Igreja se mostra solidária, além da atenção aos padres acometidos pelo novo coronavírus. Ele afirma que precisa deixar o processo de renúncia organizado. “Vamos preparar o caminho até chegar o momento que ano que vem vou entregar minha carta de renúncia ao Papa Francisco. É um processo que vai começar a ser discutido internamente e com as lideranças todas da nossa Igreja”, disse.

Frigenni acredita que pode ser o último padre do PIME (Pontíficio das Missões Estrangeiras) a assumir a Diocese de Parintins, ou seja, que o próximo bispo pode ser um sacerdote diocesano (brasileiro). Uma medida que ele apoia.

Dom Giuliano está à frente da Diocese de Parintins desde 25 de março de 1999, após ser nomeado pelo Papa João Paulo II. Ele foi consagrado Bispo dia 19 de fevereiro de 1999 por Dom Alfio Rapisarda, em sucessão a Dom Gino Malvestio, que morreu em 7 de setembro de 1997.
Frigenni utiliza o lema episcopal “TAM PATER NEMO”, que significa “Ninguém é tão Pai”. Tem 47 anos na vida missionária, sendo a maior parte dedicada à Amazônia.

você pode gostar também