Boi Caprichoso: “Somos uma associação com valores de multinacional, administramos como associação de bairro”, Jender Lobato

Jender Lobato quer fazer administração profissional e transparente

Da Redação | Parintins 24 horas

[email protected]

Parintins (AM) – O advogado Jender Lobato não abre mão de sua candidatura à presidência do Boi Bumbá Caprichoso. Isso ficou firmado após ouvir de sócios da agremiação a importância da renovação de lideranças no boi da estrela. Ele mantém dialogo com antigos e novos sócios para entender como pensam e quais as reivindicações para fazer o Caprichoso uma agremiação bem administrada e campeã no Festival Folclórico de Parintins, sem deixar de lado os projetos sociais.

Anunciando seu nome, por onde passa, Lobato tem tido cautela para não antecipar disputas já que antes da eleição o Boi Caprichoso e todos os pretensos candidatos devem pensar no título na arena do bumbódromo diante de seu rival o Boi Garantido. “Estamos num ritmo que não vou dizer que é acelerado, pois tudo tem um limite. Eu não vou comprometer patrimônio, nem promoter coisas que eu não possa cumprir. O que eu posso prometer, venho prometendo e venho fazendo é o equilíbrio. O equilíbrio social, o equilíbrio cultural e o equilíbrio econômico para o boi Caprichoso e o festival de Parintins. Nós precisamos dar um choque de gestão, nós precisamos fazer uma administração profissional”, pontua.

DSC_0010

Fiscal do Boi Caprichoso durante anos o advogado conhece a parte artística, administrativa e os bastidores do Festival. Na opinião dele o bumbá azul não deve modificar a parte artística por apresentar grandes espetáculos todos os anos, mas entende que a administração precisa ser profissional e atuar com lisura. “Somos uma associação com valores de uma empresa multinacional, mas nós administramos o boi como associação de bairro e isso está errado porque nós gerenciamos recursos públicos. Nós temos que tratar a coisa com equilíbrio e com mais transparência. O boi deve ter um portal da transparência onde cada pessoa tem que ter acesso ao que agremiação recebe, ao que boi gasta e só assim o próprio sócio vai poder dar opinião na administração porque vai saber onde o boi está gastando muito”, afirmou.

você pode gostar também