Brasil supera desconfiança, vence a França e está nas quartas do vôlei

Guilherme Costa

Leandro Carneiro | Uol

Rio de Janeiro – Era o tudo ou nada no Maracanãzinho. Se perdesse para a França, a seleção brasileira de vôlei masculino seria eliminada ainda na primeira fase da Rio-2016. Contando com a empolgação da torcida e boas atuações de Lipe e Wallace, o time de Bernardinho espantou a má fase e fechou o jogo em 3 sets a 1.

Classificado na quarta colocação do Grupo A, o Brasil terá pela frente a Argentina, nas quartas de final. O duelo acontecerá na quarta-feira (17), às 22h35.

Em um primeiro set equilibrado, a seleção brasileira teve dificuldades para conter o saque de Le Roux no início da parcial. Foi apenas no 17º ponto que o time de Bernardinho conseguiu assumir a liderança do marcador. E não permitiu uma reação francesa. Contando com a eficiência de Wallace no saque e no ataque (terminou com quatro pontos), além do bom bloqueio de Maurício Souza, a seleção brasileira conseguiu fechar o primeiro set em 25 a 22.

Maurício Souza, inclusive, foi uma aposta do técnico Bernardinho. Depois de duas derrotas, o treinador mexeu na equipe e escalou o central no lugar de Lipe. A mudança já havia sido testada durante a partida contra a Itália.

Assim como aconteceu no primeiro set, a seleção brasileira teve em Wallace seu melhor jogador na segunda parcial. Mais uma vez eficiente no ataque, o oposto terminou o set com sete pontos anotados. Como tática para tentar a virada, o levantador Bruninho em todo instante procurava Wallace em seus ataques.

Do outro lado, no entanto, Kevin Tillie fazia a diferença para os franceses. Com cinco pontos, ele foi fundamental na vitória da França por 25 a 22.

Vibração marca o terceiro set

A animação brasileira fez a diferença na terceira parcial. A cada ponto conquistado, os jogadores vibravam muito. No 18º ponto, quando o Brasil abriu três pontos de vantagem, Lipe saiu correndo atrás de Serginho para abraçá-lo no fundo da quadra. A animação contagiou o público presente no Maracanãzinho, que passou a gritar ainda mais. O time de Bernardinho fechou o set em 25 a 20.

Brasil se recupera no quarto set

Precisando vencer o set para evitar a eliminação, a França chegou a abrir três pontos de vantagem para o Brasil na metade da parcial (13 a 10). O nervosismo francês, aliado aos dois pontos consecutivos de Wallace, recolocou a seleção brasileira na partida. Os sucessivos erros, porém, impediam que o Brasil conseguisse o ponto do empate. E assim foi até a parte final: França abria dois pontos de vantagem e o time de Bernardinho conseguia reduzir um. No momento decisivo, no entanto, o empate veio: 23 a 23. A partir daí, a seleção brasileira assumiu a liderança do placar e fechou em 25 a 23.

Lucarelli sofre com os toques na rede

Durante os dois primeiros sets, um ponto dissonante da seleção brasileira era Lucarelli. Constantemente, o ponta sofria com os toques na rede em seus ataques. Em apenas um set e meio, o jogador havia cometido a mesma falta em quatro oportunidades. No quarto set, depois de mais um toque na rede, o ponta chegou a levar uma bronca de Lipe. Apesar do erro, Lucarelli entrou mais na segunda parte da partida e encerrou com 13 pontos anotados.

O saque que era problema vira solução

Na última edição da Liga Mundial, o Brasil encontrou problemas para trabalhar o passe quando o saque vinha forte. Na Rio-2016, a dificuldade se repetiu nos jogos contra Estados Unidos e Itália. Precisando da vitória para se manter na competição, o time de Bernardinho transformou o problema em solução. Apostando bastante no saque viagem, a seleção brasileira deixou a França com dificuldades na recepção – no terceiro set, Wallace encaixou um saque de 110km/h. O destaque foi Lipe. Mesmo sem começar como titular, o ponteiro entrou e conseguiu dois aces, além do grande desempenho no saque.

Torcida empurra seleção e explode com ouro no atletismo

Durante o terceiro set da partida, a torcida presente no Maracanãzinho explodiu em festa. A comemoração, porém, não tinha a ver com algum ponto anotado pela seleção brasileira. O motivo era a medalha de ouro que Thiago Braz acabara de conquistar no salto com vara.

A torcida brasileira, que chegou a entoar coros de “o campeão voltou”, ainda contou com a presença de algumas celebridades. Os atores Bianca Rinaldi e Thiago Lacerda, o cantor Thiaguinho, o piloto Cacá Bueno acompanharam a vitória do Brasil. Também presente no Maracanãzinho, mas provavelmente na torcida pela França, seu país, estava o nadador Florent Manaudou, medalha de prata nos 50m livre.

você pode gostar também