Briga entre detentos resulta em 15 mortos no Compaj

O motim foi confirmado pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) às 12h30 (horário local). O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para realizar a remoção de corpos e três viaturas foram encaminhadas à unidade.

Segundo o titular da pasta, coronel Marcos Vinicius Almeida, os crimes foram cometidos durante o horário de visitação na unidade. As vítimas foram assassinadas asfixiadas ou perfuradas com escovas de dentes.

“Não foi rebelião. É uma briga de internos. Nunca havia acontecido mortes durante visitas. Alguns morreram dentro da cela com as grades trancadas. Eles cometeram os crimes também em frente aos familiares”, afirmou.

'Não foi rebelião', afirmou titular da Seap — Foto: Rickardo Marques/G1 AM
‘Não foi rebelião’, afirmou titular da Seap — Foto: Rickardo Marques/G1 AM

O secretário informou também que não houve reféns, agentes feridos ou fuga de detentos. Questionado sobre denúncias feitas por familiares dos detentos de que policiais em helicópteros atiraram contra presos, ele afirmou que os tiros efetuados não foram direcionados a pessoas e serviram apenas para contenção.

Sobre as motivações para a briga, o titular da Seap disse que uma investigação foi aberta. Enquanto isso, as visitas à unidade estão suspensas.

você pode gostar também