Brincadeira de soltar papagaio de papel causa graves acidentes em Parintins

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

Parintins (AM) – A antiga brincadeira de soltar papagaio de papel tem causado graves acidentes em Parintins pela utilização da linha com cerol (vidro e cola). Além dos acidentes, até mesmo um guarda municipal do município foi atingido com uma pedrada no rosto no domingo, 10, durante a fiscalização do toque de recolher que proíbe a circulação e permanência de pessoas em parques, praças públicas e campos de futebol das 15 às 6 horas. A medida tem como objetivo evitar contatos e aglomerações para diminuir proliferação do novo coronavírus na cidade. A Guarda Municipal informou que os autores serão denunciados nesta segunda-feira, 11, por lesão corporal e dano ao patrimônio público.

Segundo a Guarda Municipal, o carro foi alvo de jovens no bairro Paulo Corrêa que atiraram pedras no automóvel revoltados pela equipe interromper a brincadeira apreendendo o papagaio de papel e a linha com cerol. O agente foi ferido na região da boca e recebeu 13 pontos no ferimento.

Acidentes em vias públicas

A linha com cerol tem causado graves ferimentos em pessoas que transitam pelas vias públicas da cidade como o caso de Juan Ramos, de 20 anos, que enquanto prestava serviço de delivery para a Drogaria Itaúna sofreu um corte no pescoço ao ser atingido pela linha quando dirigia uma motocicleta.

O gerente da drogaria, Sebastian Pantoja, 36, informou que Juan foi conduzido ao Hospital Padre Colombo, recebeu 13 pontos no ferimento e o estabelecimento prestou assistência com medicamentos. “Eu gostaria que as autoridades tomassem alguma providência a respeito dessa brincadeira perigosa”, disse.

Para combater as aglomerações causadas pela brincadeira, o conselheiro tutelar, João Maurício, 32, relata que ontem o órgão fez 180 abordagens e que não apenas crianças soltam papagaio de papel nas ruas, mas também adolescentes e adultos. “O nosso problema não são com crianças pois quando fazemos a abordagem eles vão pra casa, e sim com adolescentes e adultos que vão e voltam. Precisamos que a população se conscientize sobre essa pandemia e dessa brincadeira”, pontuou.

Ainda de acordo com João Maurício, o Coselho Tutelar fará uma força tarefa em que dois conselheiros farão o trabalho de conscientização da população.

As pessoas que forem flagradas descumprindo o toque de recolher poderão ser detidas e penalizadas com multa de R$ 300,00 à R$ 5.000,00 para a pessoa física. Para pessoa jurídica o valor é de R$ 5 mil a R$ 50 mil, conforme a gravidade e reiteração.

O infrator poderá ainda responder pela prática de crime contra a saúde pública, em face de dar causa a disseminação da pandemia da Covid-19 e infrigir a medida sanitária preventiva, prevista no artigo 278 do Código Penal Brasileiro (CPB).

Segundo o boletim epidemiológico desta segunda-feira, 11, em Parintins há 550 casos notificados, 104 descartados, 417 confirmados, 179 recuperados, 205 em tratamento, 33 óbitos, 23 pacientes internados e 784 pessoas em monitoramento.

você pode gostar também