-Publi-A-

Caprichoso inaugura estação do Trabalhador e orienta artistas sobre projetos culturais 

A presidência do Boi Caprichoso mais uma vez deu as mãos aos artistas em geral para o enfrentamento à crise causada pela pandemia da Covid-19, que gera consequências econômicas em centenas de famílias pela não realização do Festival de Parintins pelo segundo ano consecutivo. A primeira medida administrativa foi a criação da Estação de Apoio ao Trabalhador Caprichoso, inaugurada na noite desta terça-feira (04).

A base, que funciona em anexo à Escola de Artes Irmão Miguel de Pascale, na Rua Gomes de Castro, serve de referência para os artistas realizarem cadastramento, inscreverem projetos culturais em editais públicos ou privados e terem acesso a diversos benefícios como o auxílio emergencial de R$ 600,00 do Governo do Amazonas à categoria, aprovado pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), de relatoria do deputado Saullo Vianna.

Para a superação dos problemas financeiros da classe artística, o presidente do Caprichoso, Jender Lobato, tomou a inédita iniciativa na história dos bumbás de Parintins de promover a oficina de elaboração de projetos culturais denominada “Construção a muitas mãos”. “O Caprichoso tem os melhores artistas e temos que ter os mais preparados para ganhar dinheiro. Tivemos a Lei Aldir Blanc e a maioria não foi contemplado. Por isso, pensamos nessa formação para eles terem conhecimento”, ressalta.

A oficina, que promove o incentivo do Boi Caprichoso à cultura e à economia criativa, é ofertada de 04 a 05 de maio pelo cientista social, um dos maiores especialistas do Amazonas em captação de recursos em editais, o conselheiro de arte, Márcio Braz, com mais de 20 anos de experiência na área cultural no estado. O presidente do Boi Caprichoso anunciou articulação com a Prefeitura de Parintins e agência oficial do festival, Maná Produções, auxílio financeiro para contemplar os artistas em geral.

você pode gostar também