Caprichoso se despede da “Guerreira do Galpão” Irlani Lima

Irlani Lima recebeu homenagens do bumbá no curral Zeca Xibelão e de amigos no “Esconde”, onde residiu por muitos anos

Foto: Arleison Cruz.

O Boi Caprichoso evoluiu pela última vez para a “guerreira do galpão”, Irlani Maria Cruz da Cruz Fonseca Lima, 56, sócia e artista do bumbá. A homenagem aconteceu na tarde desta quarta-feira, (03/02), quando o cortejo fúnebre passou em frente ao Curral Zeca Xibelão. Irlani era esposa do artista plástico Juarez Lima. Sua figura sempre foi muito presente nos galpões de alegorias, nas pesquisas históricas, na concepção e construção dos módulos que marcaram alguns dos principais festivais na arena do Bumbódromo.

O tripa do boi Caprichoso, Markinho Azevedo, se emocionou ao ver que sua evolução era guiada por aplausos, lágrimas e orações. “Juarez eu te amo, amo sua família. A Irlani está marcada no coração de cada um dos artistas do Caprichoso”, disse.

Foto: Arleison Cruz.

Cria do reduto da Sá Peixoto, o famoso “Esconde”, Irlani pertencia a uma família apaixonada e tradicional azul e branca. Brincou no boi da estrela na testa e foi destaque por vários anos nas tribos Sateré-Mawé e Marajoara. Irlani também chamava atenção por sua fé e devoção a Nossa Senhora do Carmo, padroeira de Parintins. Ela foi mais uma vítima da Covid-19.

O artista Glaucivan Silva destaca que Juarez e Irlani foram responsáveis pelo crescimento de muitos trabalhadores na arte e na fé. “Cada pessoa que parte é um pedaço de nossa história que se vai, é um recorte de nossa vida, nossa convivência, de nossa infância, de nosso crescimento artístico e espiritual. Tudo isso nos deixa muito abalado”, frisa.

O vice-presidente do boi Caprichoso, Karu Karvalho, viu Irlani se apresentar como guerreira indígena. Seu talento como artista foi moldado por Juarez Lima. “Dona Irlani, o Caprichoso te agradece, a nação azul e branca te agradece por tudo o que a senhora fez pra gente nessa terra. Vamos lembrar de você sempre com alegria”, comenta.

Durante a homenagem, Juarez Lima Filho representou o pai, Juarez Lima, que continua internado em Manaus, e o irmão Thiago Lima. Bastante emocionado ele foi afagado por artistas, sócios e amigos. “O Boi Caprichoso é da minha família, minha mãe brincou a vida toda na tribo Sateré-Mawé antes mesmo de conhecer meu pai. Os dois trabalharam muito, deram a vida (lágrimas) aqui no galpão do Caprichoso. Minha mãe foi o esteio do meu pai e quem conhece sabe o quanto eles se doaram, o quanto esse lugar virou nossa casa, no qual vivemos momentos maravilhosos. Nossos amigos, promessas, são histórias que a gente vai levar para a eternidade, e eu estou muito grato por essa homenagem porque é o reconhecimento de tudo”, ressalta.

O presidente do Boi Caprichoso, Jender Lobato, lembrou que Irlani sempre foi uma pessoa ativa nas reuniões dos artistas, braço direito de Juarez Lima. “Uma mulher exemplo de companheira, de trabalhadora e de torcedora apaixonada pelo Boi Caprichoso”, destaca.

Irlani Lima também foi homenageada por amigos e familiares na rua Sá Peixoto, berço do bumbá azul e branco.

você pode gostar também