Carlos Almeida explica Ação Popular para barrar decreto da redução do IPI que afeta a Zona Franca de Manaus

Autor da Ação Popular, junto ao presidente do PSDB no Amazonas e ex-prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, o vice-governador Carlos Almeida Filho (PSDB), publicou um vídeo em suas redes sociais nesta quinta-feira (3.3) para explicar como o decreto federal de redução do IPI afeta a Zona Franca de Manaus e o que se espera da justiça para reverter a situação.

“O Amazonas não tem condições de competir em pé de igualdade com a região sudeste. É por essa razão que o modelo Zona Franca não pode ser diminuído ou menosprezado, ele tem, sim, que ser reforçado. Há uma exigência internacional e nacional pela preservação da Amazônia e a Zona Franca é o agente que mantém a floresta de pé”, destacou Carlos Almeida.

De acordo com o vice-governador, a ausência de logística é um dos fatores para que a Zona Franca receba incentivos fiscais. “O modelo Zona Franca de Manaus, criado há 55 anos, é uma solução de desenvolvimento para atender a Constituição brasileira para que possamos diminuir as nossas desigualdades regionais do resto do Brasil”, explicou.

Carlos ressaltou, ainda, que a redução de impostos interfere diretamente nas indústrias instaladas no Polo Industrial de Manaus. “A partir do momento que se reduz a carga tributária no restante do país deixa de ser interessante para as indústrias se instalarem aqui ou permanecerem”, disse. Isso porque a logística no Amazonas e o isolamento do restante do país, coloca o Polo Industrial de Manaus em desvantagem frente a outras regiões.

“Por essa razão a medida adequada para evitar um problema maior é a judicialização. Nós aguardamos que as respostas do judiciário possam vir e permitam que uma discussão mais adequada possa acontecer”, concluiu o vice-governador do Amazonas, Carlos Almeida Filho.

você pode gostar também
..