Centro cirúrgico da Associação Patinhas Unidas terá nome de mulher que se dedicava a saúde das pessoas

Foto: Gilson Almeida.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

O primeiro centro cirúrgico social do Baixo e Médio Amazonas dedicado a cães e gatos, recém-criado e ainda sem título, da Associação Patinhas Unidas de Parintins (Apup), receberá o nome de uma mulher que se dedicava a saúde das pessoas. O anúncio foi dado pelas redes sociais da associação. Entre as personalidades que será homenageada com o nome posto no centro cirúrgico está dona Maria Ramos, conhecida como Maria Puxadora, e Maria de Souza Rodrigues Lisboa, a Nega Parteira. O nome será escolhido por meio de votação entre elas nos stories do Facebook e Instagram da Patinhas Unidas.

DONA MARIA RAMOS – MARIA PUXADORA

Maria Ramos, também conhecida como Maria Puxadora, nasceu no estado do Pará e segundo seu filho, recebeu o dom da cura desde criança. Iniciou assistindo os animais que ajudavam na renda da propriedade de sua família no interior, cuidava de galinhas com patas quebradas, cães machucados, cavalos doentes ou com feridas, entre outros.

Após o casamento e o nascimento dos filhos, morou no Arari e no Mocambo, onde passou a ajudar muitas pessoas através de remédios naturais que precisavam de cura para doenças, distorções, feridas e queimaduras. Na década de 1960, mudou-se com a família para Parintins, onde também realizou uma saga de curas e tratamentos. Com isso, dona Maria ficou muito conhecida na cidade, ajudou muitas pessoas, nunca cobrou nada de ninguém e grande parte de seus pacientes ainda vivem até os dias atuais. Ela faleceu em 2007.

 

NEGA PARTEIRA

Maria de Souza Rodrigues Lisboa, a Nega Parteira, nasceu em Letícia (Colômbia), porém viveu grande parte de sua vida em Parintins, recebendo até mesmo o título de cidadã parintinense devido os serviços prestados à saúde da população local. Estima-se que dona Nega tenha participado de mais de mil partos, além costurar rasgaduras, consertar desmentidoras, benzer, preparava garrafadas poderosas para problemas femininos que chegavam até mesmo, segundo relatos das pessoas que a conheceram, a estimular a reprodução em mulheres estéreis.

Mesmo com limitações físicas por causa da idade, dona Nega continuava contribuindo com a saúde do próximo por meio de fórmulas naturais. Em 2001, dona Nega faleceu aos 93 anos, lembrada por todos que a conheceram em vida com muito carinho. Dona Nega Parteira chegou a ser citada em toadas dos bois Caprichoso e Garantido.

você pode gostar também