Chico da Silva sobre O Amor Está no Ar, Garantido e Caprichoso: Tudo é Folclore

Aos 74 anos, o músico, cantor e compositor Chico da Silva incendiou a galera do Caprichoso e Garantido antecipando as chamadas “tretas” nas redes sociais sobre o Festival Folclórico de Parintins, que geralmente começam depois do Carnaval.

Motivo

A diretoria do Caprichoso anunciou sábado, dia 18 de janeiro, que o Azul e Branco incluirá duas toadas no disco de 2020, sendo elas “Chama Azul” e “O Amor Está no Ar”. Chama Azul é inédita, já “O Amor Está no Ar” é da década de 90. Outra música “Amazonas” também está fechada para tocar na arena pelo Caprichoso.

O X da questão justamente é “O Amor Está Ar” ser considerado um dos hinos do Boi Garantido. Foi tocada, inclusive, no ano de 2019 por Sebastião Júnior, na arena do Bumbódromo.

Os internautas nos grupos diversos elogiaram, criticaram, divergiram e até convergiram sobre a polêmica.

Alheio a tudo isso, em contato com exclusivdade a coluna Poder/Koiote do Site ParintinsAmazonas nesta segunda-feira, dia 20, mestre Chico da Silva disse ter tido uma grata surpresa pelo alvoroço causado e resume a questão: “Isso é folclore. É tudo folclore”.

PA: De quem é a toada?

Chico: “A toada O Amor Está Ar foi composta pela safra de farinhas boas. Eu estava no Garantido e fiz Vermelho, Gavião Real, O Amor Está no Ar e Festa da Raça, que ajudou no título de 1997 para o Garantido. Logicamente a toada é minha e em várias entrevistas disse que era pro Garantido, pois eu estava no Garantido. Mas a diretoria só cantou uma vez no Bumbódromo e depois a abandonou. A Festa da Raça é a que mais gosto dessa época, como Meu Amor É Caprichoso, do lado Azul. Na época estava estudando as progressões de um grande músico chamado Almir Chediak. Tudo que eu fazia rolava pensando no Garantido”.

PA: Mas você disse que a toada era pro Garantido? Há várias entrevistas.

Chico: “Claro que disse. Era o contexto da época. E o que eu digo está dito. A toada que na realidade era uma música para ser nacionalmente cantada não fala no Garantido de nome, fala no Coração e o Coração é uma coisa intransponível. Não pensei no boi. Todo mundo tem o coração. Inclusive os torcedores do Caprichoso e do Garantido, todo mundo. Essa canção toca em várias partes do mundo e do Brasil, ainda não é música popular. Mas espero que seja a partir de pessoas que tem a intenção de gravar. O primeiro a gravar a música foi com o grupo Regional Vermelho e Branco do Sidney Rezende. Como símbolo o Coração é do Garantido então ficou assim”.

PA: Então a toada é do Garantido?

Chico: “A Toada O Amor Está no Ar pertence a Universal Music. É da Universal que é a maior gravadora da indústria fonográfica do mundo. Foi feita num dos períodos que fiquei no Garantido na década de 90, mas não é do Garantido, pois nunca foi assinado nenhum contrato sobre a composição. Outras toadas são registradas pelo Garantido e isso é diferente. Desde sábado está autoriza a ser executada pelo Caprichoso. Quando o Jender veio pedir até brinquei que iria fazer um muvuca na cabeça da galera, mas ele queria saber se tinha contrato da toada no Garantido e não tinha. Fizemos um contrato. Ainda de forma contratual pela palavra. Mas minha palavra eu respeito e agora está no Caprichoso. Se o presidente do Caprichoso Jender Lobato quiser fazer um contrato formal será feito. O Garantido nunca fez esse contrato”.

PA: Mas esse ano ela tocou pelo Garantido no Bumbódromo?

Chico: “Tocou sim, pois eu autorizei depois do pagamento do diretor de execução na arena. Essa toada quem gostava muito entre os torcedores do Garantido é o senador Omar Aziz que é um grande incentivador do Festival de Parintins e dos bumbás Caprichoso e Garantido. Devemos reconhecer as pessoas que ajudam o evento e o Omar ajuda sempre que pode, assim como outros governadores e políticos que torcem pelo Caprichoso. Ele sempre pedia nos eventos essa toada. Mas esse ano de 2019 foi para a arena pelo Garantido depois de um pedido do jornalista Neuton Corrêa. Somente por isso”.

PA: Você na década de 90 fez uma situação jamais vista envolvendo toadas que fez para o Caprichoso e para o Garantido. Disputando Letra e Música em lados opostos. Já imaginou em 2020 as duas galeras cantando a mesma toada?

Chico: “Tudo faz parte da cultura, é cultura diria Mario de Andrade. Eu amo as duas galeras. Tenho respeito por todas. Mas veja bem Hudson, a arte é universal. Agora tem a questão dos direitos autorais, para o artista sobreviver. Tem de entrar o “capilé” o dinheiro. O direito de execução da toada está hoje, volto a dizer com Caprichoso. A diretoria deve pedir algo para não ser executada pelo Boi Garantido. Tem os meios e órgão legais para isso”.

PA: Seria uma sensação diferente, ou não?

Chico: “As duas galeras já curtem e cantam há bastante tempo O Amor Está no Ar. E vão continuar cantando. Quero um Festival grandioso para os dois bumbás, para Parintins e para o Amazonas”.

PA: Esperava toda essa movimentação e marketing de certa maneira já no mês de Janeiro?

Chico: “Eu sou cara crente, aquele que acredita que tem vontade manifestada dentro dele na vida. Acredito na vida, vida bela, com a vida tudo é possível. Espero sempre o melhor. Isso é uma coisa boa e claro que esperava. Não vou esperar coisa ruim (rsrsrs), mas coisa boa. Estou muito feliz pela repercussão. Quero coisas boas para todo mundo. Tudo na vida vem inesperadamente. Eu agradeço muito a Deus por ser responsável por esse fogo abraçador divino. Conhecer você ano passado e fazer o show em Parintins “Gerações” foi uma coisa fantástica. Foi um dos melhores shows que fiz na minha vida. Então, espero coisas boas para todos e um festival divino”.

Por Hudson Lima Koiote – Jornalista

você pode gostar também