Colombianos representam 50% dos estrangeiros presos no AM

Em setembro, colombiano e taxista foram presos, em Manaus, com quase 50 quilos de maconha ‘skunk’. Foto: Jair Araújo

Dos 142 detentos nascidos em outros países e que fazem parte da população prisional do Estado, 72 eram oriundos da Colômbia, até setembro

Girlene Medeiros | d24am

Manaus – Os colombianos presos representam 50% dos detentos estrangeiros cumprindo pena em unidades prisionais do Amazonas. Os peruanos ficam com o segundo lugar no ranking da população carcerária estrangeira no Estado, seguida por presos venezuelanos. Os dados são da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) e correspondem aos encarcerados, até setembro deste ano. Liderado por presos com nacionalidades de países latino-americanos vizinhos, o ranking é associado ao narcotráfico internacional pela Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Conforme o levantamento estatístico da Seap, até o último mês de setembro, 72 colombianos cumpriam pena em solo amazonense, como parte de uma população carcerária estrangeira formada por 142 detentos. O levantamento da secretaria aponta, também, que nascidos no Peru somavam 49 presos.

Uma das prisões recentes de colombianos, pela Polícia Civil (PC), ocorreu no último dia 27 de setembro, quando o colombiano José Eduardo Marquez Hoyos, 48, foi preso com 49,5 quilos de maconha ‘skunk’ e R$ 24 mil, próximo à Praça Heliodoro Balbi, também conhecida como ‘Praça da Polícia’, na Avenida 7 de Setembro, no Centro da capital.

Doze dias antes, os colombianos Silvan Guimarães Prieto, 30, também conhecido como ‘Silvan Gutierrez Prieto’, e Vicenth Correa Ramirez, 21, foram presos, com 1 quilo de pasta-base de cocaína, em uma casa que a PC suspeita pertencer a uma facção criminosa relacionada ao tráfico de drogas, na Rua 21, no Planalto, na zona oeste de Manaus.

No dia 22 de setembro, o peruano Nelson Ozório Curico, 45, foi preso  próximo à ilha do Baixo, em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus). A prisão aconteceu após a equipe do Departamento de Investigação Sobre Narcóticos (Denarc) investigar sobre rota de tráfico de drogas entre Tabatinga (a 1.108 quilômetros de Manaus) e Oriximiná, no Pará. Durante a prisão, os policiais civis apreenderam dois fuzis, um deles do exército peruano, R$ 462 mil, pistolas e munições.

você pode gostar também