Com parte de dívida paga em 2019, Justiça suspende leilão do galpão do Caprichoso

O presidente do Boi-Bumbá Caprichoso, Jender Lobato, compromissado com os patrimônios do bumbá, ao assumir o cargo, realizou uma grande peregrinação no sentido de ter acesso a todas as dívidas do bumbá com o objetivo de buscar entendimento e assim evitar processos inesperados durante a construção do projeto boi de arena para o Festival de Parintins. Uma das primeiras negociações ao assumir a gestão azulada, em 2019, foi com a empresa cuja a dívida era dos anos de 2009 e 2010 sobre compra de camisas estampadas. Dentro dessa negociação, Lobato fez o cumprimento parcial da dívida, ou seja, pagou 70% da negociação e em virtude da Pandemia da Covid-19, com a não realização do Festival de Parintins, não houve entrada de recursos inviabilizando a efetivação do residual.

Com a omissão dessas informações no processo pela parte credora, a Justiça suspendeu nesta quinta-feira, 24, o leilão judicial do galpão de alegorias. A decisão foi assinada pelo Juiz de Direito da 8ª Vara Cível e Acidentes de Trabalho da Comarca de Manaus, Mateus Guedes Rios. O magistrado teve como embasamento a falta de informações da parte credora que sequer apresentou no processo o valor do débito cobrado. A decisão reconheceu a impossibilidade de se levar a leilão o imóvel do Caprichoso, na medida em que a parte credora sequer apresentou nos autos o valor do suposto débito que alega existir, inclusive, sem que tenha efetuado qualquer tipo de abatimentos quanto aos valores e ingressos que já recebeu anteriormente.

Diante das observações, o magistrado anunciou a suspensão do leilão. “Pelas razões expostas, exercendo o juízo de retratação oportunizado no art. 1.018, § 1º, do código de processo civil, RETRATO, em parte, a decisão interlocutória de fls. 435/439, ao passo que: I) SUSPENDO a realização do leilão judicial anteriormente determinado (fl. 439), o que não impedirá o praceamento do bem em momento oportuno”.

Durante os dois anos de pandemia, o Boi Caprichoso uniu forças para quitar o máximo de dívidas possível. Segundo o presidente Jender Lobato, os débitos do bumbá diminuíram consideravelmente e o boi executa uma política amistosa de negociações e entendimentos para sanar todas as dívidas, valorizar o trabalhador e não comprometer a apresentação do boi no Festival de Parintins. “Eu tenho entrado na Justiça, eu busco avanços nas esferas trabalhista, cível, tributária, previdenciária e a gente vem conseguindo êxito. Vamos sempre lutar pelo patrimônio do boi, pelo bem que pertence à nação azul e branca”, concluiu.

Texto: Eldiney Alcântara- Assessoria de Comunicação Boi Caprichoso
Fotos: Yuri Pinheiro

você pode gostar também
..