Comissão da Câmara Municipal de Parintins faz tomada de contas do exercício 2016 do ex-prefeito

Durante coletiva de imprensa realizada na manhã desta quinta-feira, 04 de maio, na Prefeitura de Parintins, o prefeito em exercício Tony Medeiros entregou ao presidente da comissão de tomada de contas especiais da Câmara Municipal, Telo Pinto, uma série de documentos referentes às receitas do município do ano de 2016.

Da comissão também fazem parte o vereador Bertoldo Pontes, vereador Beto Farias, e os servidores do legislativo Israel Lima e Antônia Almeida.

A comissão foi formada no legislativo atendendo a um indicativo do Tribunal de Contas do Estado do Amazonas (TCE-AM). De acordo com o Tribunal, não foi realizada a prestação das contas do Município no ano de 2016, na gestão do ex-prefeito Alexandre da Carbrás.

Seguindo o que rege o Tribunal de Contas, o prefeito em exercício entregou ao presidente da comissão de tomada de contas relatórios do ano de 2016 sobre as despesas com serviços de terceiros, despesas com folha de pagamento, despesas com faturas (energia, telefone e internet) e despesas com serviços de manutenção. Tony Medeiros também repassou à comissão documentos com a relação de taxas, pedidos de certidões pendentes, pagamentos, empréstimos consignados e tributos e ISS não pagos de 2013 a 2016.

A antiga administração tinha até o dia 15 de abril para apresentar a prestação de contas relativa ao ano de 2016. Segundo o prefeito em exercício há muito indícios de irregularidades na gestão do patrimônio público. “Como ele (ex-prefeito Alexandre da Carbrás) não prestou contas, a Câmara Municipal teve que abrir uma comissão de tomadas de contas especial e dessa forma fazer toda uma investigação necessária de como foi utilizado os recursos na Prefeitura Municipal de Parintins”, explica o prefeito em exercício Tony Medeiros.

Telo Pinto, presidente da comissão de tomada de contas, informa que a partir do indicativo dado pelo TCE, a Câmara decidiu em reunião que faria análise da situação financeira e contábil do município em 2016. “É um trabalho muito sério, de grande responsabilidade. Não é fácil, tendo em vista que as documentações relacionadas a 2016 não foram deixadas na Prefeitura, que está recebendo os documentos através da justiça que fez a apreensão”, enfatiza.

Devido ao caráter emergencial da análise das contas do município do ano de 2016, não há um prazo estipulado para a finalização da tomada que está sendo feita na Câmara.

você pode gostar também