‘Constelação’ de urubus toma conta do lixão de Manacapuru na estrada de Novo Airão

O céu da cidade de Manacapuru (AM), premiada como o título de “Princesinha do Solimões”, não só pelo aconchego de seu povo, pelo charme as cirandeiras mas, também, pelas arquitetura de suas belezas naturais, foi invadido por uma “constelação” de urubus.

Nada contra os urubus. Apesar de tão discriminadas aves, os urubus tem méritos de sobrar para embelezar como qualquer brilhante constelação, o céu cor de anil com seus alegres e radicais e voos rasantes.

No céu, as aves aguardam o melhor momento para contribuir com o meio ambiente, sem nenhuma contrapartida financeira ou propina de empreiteiras para tirar um pouco do lixão à céu aberto que o prefeito Jaziel Nunes de Alencar Tororó (PMDB) não soube cuidar.

Uma vergonha para a Princesinha do Solimões, um insulto para o povo da terra de mura, e um crime abusivo,irresponsável e cafajeste contra a mãe natureza.

A porcaria deixada pelo prefeito Tororó na estrada de Novo Airão (AM) é, sem dúvida, o raio x do perfil político-administrativo de um homem completamente despreparado para gerir os interesses do povo de uma cidade da importância de Manacapuru.

O resultado das eleições não foi à-toa. Tororó pagou com a perda do cargo pela sua arrogância.

O lixão do Tororó refle fielmente o resultado das urnas no dia 02 de outubro.

Do Fato Amazônico

você pode gostar também