Crime por ciúme: Padrasto agride enteada em Parintins

Da Redação | 24 Horas
[email protected]

A parintinense Morgana Araújo, 21 anos, procurou a reportagem do Portal Parintins 24 horas para denunciar o padrasto, Amarildo dos Reis do Carmo, 40 anos, de tê-la agredido com o cacetete que usa no trabalho como vigilante. De acordo com a jovem, a susposta agressão ocorreu na manhã deste domingo (21) na residência da mãe dela no bairro Palmares, em Parintins.

Morgana acredita que o motivo das supostas agressões físicas foi por ciúme dela com o namorado. Ela contou que o agressor não estava sobre efeito de bebida alcoólica. Conforme Morgana, na tentativa de defendê-la o irmão dela também foi agredido. “Ele pegou o cacetete para me bater e meu irmão com minha mãe ficaram na frente. Então, ele partiu para cima do meu irmão que teve que ser conduzido ao hospital”, falou Morgana. Ele não teve lesões graves e já está em casa.

A jovem disse que o padrasto a ameaçou de morte, caso seja preso. Ela afirma que irá registrar um boletim de ocorrência na delegacia contra o padrasto. Morgana fez ainda uma nova acusação: que o padrasto abusou sexualmente dela quando tinha 13 anos.

Amarildo disse usou o cacetete para se defender de Morgana e nega a acusação de que ele abusou  sexualmente a enteada. “Ela pegou um alicate e veio para me bater. Com eu não tinha nada nas mãos, a coisa mais próxima que tinha perto de mim era o cacetete. Então peguei ele me defendi. Na ação o cacetete pegou na porta e nisso atingiu o irmão dela, mas não foi nada grave com ele. Em relação ao abuso que ela me acusa não é verdade. Eu nunca tive mal intenção com ela. Eu trato a Morgana como se fosse minha filha”, falou.

você pode gostar também