Cultura Negra: Escola Afro-Amazônica realiza encontro de educandos em Parintins

Eldiney Alcântara | 24 Horas
[email protected]

Estudantes, artistas e educadores de Parintins participaram neste fim de semana do I Encontro de Educandos da Escola Afro-Amazônica, projeto voltado para a promoção das histórias e das culturas africana, afro-brasileira e indígenas nas escolas. A programação social e pedagógica aconteceu na quadra da Escola Estadual Dom Gino Malvestio, no bairro Itaúna II.

O encontro reuniu 200 estudantes inscritos no projeto de educação antirracista idealizado pelo educador popular e presidente do Instituto Cultural Ajuri (INCA), Marcos Moura. O evento contou com uma mostra “pretagógica” alusiva ao mês da consciência negra, com show didático do Grupo Ajuri, oficina de confecção de Abayomis (bonecas africanas), apresentações culturais, exposição de artes plásticas e de revistas em quadrinhos.

Além dos educandos do projeto, fizeram parte do encontro o Coletivo de Mulheres Artistas TAMO JUNTAS (TMJ), artistas do Estúdio Buriti Artes , jovens do Movimento Grito da Periferia e da Fanfarra da Escola Estadual Deputado Gláucio Gonçalves. Na ocasião da visita da deputada estadual licenciada Alessandra Campêlo e do governador do Amazonas, Wilson Lima, a Parintins, a coordenação do projeto lhes entregou  mostra dos materiais didáticos e placas de agradecimento aos políticos parceiros pelo apoio dado ao projeto.

O Projeto Escola Afro-Amazônica é uma realização do Instituto Manaós em parceria com o Instituto Cultural Ajuri (INCA), financiado através de convênio com a Seduc com  recursos de emenda parlamentar no valor de cem mil reais de autoria da deputada estadual Alessandra Campêlo.

você pode gostar também