-Publi-A-

Curso gratuito ensina turmas do Norte e Nordeste a fazer podcasts

O Podcast “As Amazonas”, em parceria com a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji) e a Embaixada e Consulados dos Estados Unidos, oferece o curso on-line gratuito “Podcast: seu conteúdo para o mundo”, voltado para turmas do Norte e Nordeste do Brasil. As aulas começam em novembro e serão ministradas a partir de Manaus (AM) pelas jornalistas Aruana Brianezi, Daniela Assayag e Liege Albuquerque. As inscrições permanecem abertas até 24.out.2021.

Inscreva-se aqui.

Ao todo, 60 pessoas serão selecionadas para o treinamento com as instrutoras que, desde jul.2021, apresentam semanalmente o podcast “As Amazonas“. No produto jornalístico, elas comentam as principais notícias do Amazonas e do Brasil. Segundo Aruana Brianezi, a ideia do curso é priorizar municípios onde não há veículos de imprensa, os chamados desertos de notícias. “Queremos contribuir para criar um espaço de difusão de novas vozes, democratizando a comunicação”.

Para o treinamento de 16h, serão formadas duas turmas de 30 alunos cada. Além das três instrutoras, o curso contará com a participação de especialistas em voz, equipamentos de produção e outros podcasters do Brasil e dos Estados Unidos. No final da iniciativa, a Embaixada dos EUA doará smartphones para os quatro melhores alunos, dois de cada região. Os selecionados receberão ainda mentoria individual das instrutoras ao longo do curso.

As aulas acontecerão aos sábados, nos dias 6, 13, 20 e 27.nov.2021, no período da manhã e da tarde, em formato síncrono (ao vivo). “Produzimos um curso redondinho, usando nossa experiência em apuração, checagem, uso da voz, construção de roteiro e script para dar munição a quem quiser contar sua história, a de sua comunidade, como notícia ou como memória”, diz Daniela Assayag.

No curso, os alunos vão produzir programas, que serão ancorados no site indexador de podcasts Vozes da Amazônia, uma espécie de catálogo das produções locais do Norte e Nordeste.

“Precisamos estimular as vozes regionais, fortalecer e abrir espaço para pontos de vista, histórias e narrativas únicas e originais Brasil afora, criadas por jornalistas formados ou em formação ou por membros de comunidades”, conclui Liege Albuquerque.

Mais informações:
[email protected]

você pode gostar também