Davi Lucas, um ‘Menino Maluquinho’ amazonense

O convite ao amazonense Davi Lucas para interpretar o protagonista em “O Menino Maluquinho” no Festival Amazonas de Ópera (FAO) foi feito em 2020, mas a pandemia adiou o sonho do artista. Com o retorno do maior festival do gênero na América Latina, o espetáculo estreia no dia 15 de maio, no Teatro Amazonas, e o personagem da obra de Ziraldo ganha vida e promete emocionar o público.

Davi Lucas, de 12 anos, é aluno do Liceu de Artes e Ofício Claudio Santoro e já participou como solista em outros musicais, mas, no FAO, é a primeira vez.

“Ser protagonista em uma ópera é bem diferente. No caso do ‘Menino Maluquinho’, de um escritor brasileiro, temos que misturar a atuação com a fala e o canto. Apesar de ser sopranino, vou trazer o lírico para a minha voz. Vai ser incrível a sensação de cantar ópera”, destaca o artista. “Trabalho ao lado de maestros, diretores, líricos de nível altíssimo, e eu sou só um menino aprendendo tudo isso. Reconheço que este papel vai me dar uma experiência incrível e muito aprendizado”.

O artista se apresentou no Teatro Amazonas em espetáculos, como o de Natal, como o personagem Cadu da “Caixa Mágica de Natal”, evento premiado em três categorias do 20º Prêmio Cenym de Teatro Nacional: Melhor Figurino, Melhor Qualidade Técnica e Melhor Maquiagem e vencedor na categoria Musical Norte, por voto popular, na segunda edição do Prêmio Brasil Musical, em 2020. Ele também participou do The Voice Kids, programa da Rede Globo, em 2021.

Produção – Para o secretário Marcos Apolo Muniz, “O Menino Maluquinho” é uma das óperas mais aguardadas do festival, pelo ineditismo no estado e principalmente pela quantidade de profissionais locais envolvidos, entre artistas e corpo técnico.

“Além de Davi Lucas, o espetáculo terá os coralistas do Liceu Claudio Santoro, do Coral do Amazonas, o figurino e a direção também são assinados por amazonenses. Será um grande espetáculo”, afirma o titular da pasta.

Números – Aproximadamente 36 integrantes do Coral Infantil e do infantojuvenil do Liceu de Artes e Ofício Cláudio Santoro vão participar da ópera infantil. Segundo o diretor da instituição, o maestro Davi Nunes, esta é primeira vez que os dois corais estão juntos no festival.

“Até então, apenas o Coral Infantil participava do festival de ópera e, nesta edição, temos um diferencial, que é a participação do Coral Infantojuvenil, por questões técnicas da ópera. É um grande orgulho ver os alunos colocarem em prática tudo que aprendem em sala de aula”, comenta o diretor.

Figurino – Para produzir os figurinos da ópera “O Menino Maluquinho”, 25 costureiras atuam na Central Técnica de Produção (CTP).

“São, em média, 200 figurinos, sem contar com adereços de cabeça e sapatos. Figurinos completos, o que representa um volume muito grande, porque temos os corais, os solistas. Enfim, desde a concepção da criação do figurino até a mão de obra é toda local”, explica a figurinista Melissa Maia.

Festival – O FAO iniciou no dia 29 de abril e segue até 31 de maio, na capital e interior. A programação conta com atrações gratuitas e, para as obras pagas, os ingressos estão à venda em www.bilheteriadigital.com e na bilheteria do Teatro Amazonas.

Cinco óperas, recitais, concertos, workshop e encontro de economia criativa estão na agenda do evento. A programação inclui atrações no Teatro Amazonas, Teatro da Instalação, centros culturais Palácio da Justiça e Palácio Rio Negro e também no interior. As estreias das óperas vão ser transmitidas pela TV Encontro das Águas e nas redes sociais da @culturadoam.

O FAO é realizado pelo Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa e da Agência Amazonense de Desenvolvimento Cultural (AADC). O projeto, aprovado na Lei de Incentivo à Cultura, Ministério da Cidadania e Secretaria Especial de Cultura, tem patrocínio master do Bradesco e patrocínio da Innova.

Bradesco e cultura – Com centenas de projetos patrocinados anualmente, o Bradesco acredita que a cultura é um agente transformador da sociedade. Além do Teatro Bradesco, o banco apoia iniciativas que contribuem para a sustentabilidade de manifestações culturais que acontecem de norte a sul do país, reforçando o seu compromisso com a democratização da arte.

São eventos regionais, feiras, exposições, centros culturais, orquestras, musicais e muitos outros. O banco também mantém o Bradesco Cultura, plataforma digital que reúne conteúdo relacionado às iniciativas culturais que contam com o patrocínio da instituição. Visite em cultura.bradesco.

você pode gostar também
..