-Publi-A-

De vida no interior a profissional da linha de frente: Jovem conta sua história de superação

Foto: Reprodução.

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

De família humilde, Ivana Cruz Rocha, de 25 anos, conta sua história de vida do interior a profissional da linha de frente do município de Parintins. Filha de Salomir Lima Rocha e Ivone Garcia Cruz Rocha, a jovem nasceu na comunidade Capitão, no município de Juruti Velho (PA), onde ficou até aos 15 anos. Em 2012 ela se mudou para Parintins em busca de uma vida melhor.

“Onde eu nasci sempre me motivou a ir além devido as dificuldades, os trabalhos braçais como cultivo da terra (roça), plantar capim, pescar juntamente com meus pais e avós. Meu transporte para ir à escola era uma canoa a remo que eu e minha irmã ganhamos de nosso pai. Não tinha escape de sol e nem de chuva. Depois as coisas foram começando a melhorar, ganhamos um motor rabeta e já dava para ir mais feliz para a escola e depois com transporte escolar melhorou bem mais. Enfim me fez ser forte e nunca desistir”, disse Ivana.

Chegando em Parintins ela foi morar com a tia no Bairro União onde cuidava dos primos, da casa e a noite estudava na Escola Estadual Brandão de Amorim. “Eu ia para a escola numa bicicleta que ganhei do meu pai, só que caía muito a corrente, mas eu chegava depois de ‘um ano’. Depois fui morar com um outro tio. Durante o dia trabalhava como babá, a noite estudava e ia seguindo firme e forte”, lembra a jovem.

“Em 2014 concluí meu ensino médio, casei, dei uma relaxada nos estudos e não sabia nem que profissão queria para mim. Comecei a trabalhar como operadora de caixa em supermercado, mas sempre com objetivos em mente. Em busca de melhorias, em 2015 fomos para Manaus onde tive a oportunidade de trabalhar em um hospital particular como recepcionista, foi ali que me identifiquei com a área da saúde e então soube o que eu queria para mim. Aquela vontade de estudar só crescia em mim e passaram-se três anos naquela correria de Manaus. Decidimos voltar para Parintins e em 2017 montamos um empreendimento, a Casa de Carne, no qual não obtivemos sucesso”, recorda.

Ivana conta que isso não o suficiente para e ela desistir. Foi então que começou a fazer o curso de Técnico em Enfermagem e concluiu em dezembro de 2019.

A paraense estava trabalhando de vendedora em uma loja quando veio a pandemia da Covid-19 e começou a bater o desespero. Os momentos ficaram mais difíceis para ela quando ela foi afastada da loja devido à crise causada pela pandemia e que junto veio o divórcio. “Em maio de 2020 tive a oportunidade de trabalhar na pandemia e eu não pensei duas vezes. Deu medo sim, bastante, mas o amor, a vontade de fazer o bem era maior. Então começou a batalha. Sempre com uma força, uma felicidade de estar ali fazendo o que mais amo. Nossa isso mudou muito a minha vida. Ser técnica de enfermagem é um orgulho para mim. Costumo dizer que a enfermagem me tomou para si de uma forma surreal. Essa pandemia veio para mudar as nossas vidas, nosso modo de pensar, de agir. Busco a cada dia dar valor nas coisas mais simples, porém de grande importância como amar mais e mais a família, amigos, pacientes, ser cuidadoso, solidário, a ter mais empatia. Hoje me sinto uma mulher guerreira, realizada, feliz, livre, com muitos sonhos e objetivos a serem alcançados. Tenho orgulho de onde eu vim, das minhas lutas vencidas, dos meus fracassos porque eles me incentivaram para ser melhor, orgulho de mim como mulher”, concluiu.

você pode gostar também