-Publi-A-

Delegacia de Parintins continua com o atendido prejudicado devido a granada lançada por criminosos

Gilson Almeida | 24 Horas
[email protected]

O atendimento da 3ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) continua prejudicado devido a granada lançada contra o prédio na madrugada do dia 06 de junho. O ato foi realizado por membros da facção criminosa Comando Vermelho. O explosivo foi lançado atrás da sala do delegado, mas não detonou e se encontra no local até hoje.

O delegado Adilson Cunha, titular da 3ª DIP, informou que está sendo registrado somente boletins de ocorrência de casos urgentes, além de flagrantes e violência doméstica. Os BOs podem ser registrados também pelo site www.delegaciainterativa.am.gov.br. “Estamos com o serviço temporariamente interrompido, mas alguns serviços estão sendo feitos e muitas pessoas estão sendo atendidas. Infelizmente não podemos atender a todos porque é muito tráfego de pessoas aqui pela delegacia. Então pode vir criança ou outras pessoas aqui para atrás. Portanto estamos evitando a circulação de pessoas para que não haja uma tragédia pior em que essa granada venha a explodir”, disse.

Adilson Cunha falou ainda que já solicitou uma equipe especializada de Manaus e aguarda ela se deslocar para Parintins para desarmar ou detonar a granada.

Além disso, na madrugada do dia 07 criminosos tentaram atear fogo na viatura da Polícia Civil que estava estacionada na frente da delegacia em que lançaram um coquetel molotov contra o veículo. As chamas foram rapidamente apagadas pela equipe da PC que estava de plantão na delegacia e evitou a perda do patrimônio público.

Nos dias 06 e 07 de junho Parintins sofreu uma série de ataques em que criminosos incendiaram uma viatura da Polícia Militar que estava na oficina, atearam fogo em alguns ônibus no bairro Paulo Corrêa, Na Vila Amazônia, zona rural do município, tentaram incendiar a UBS Pe. Francisco Luppino e o ônibus da unidade, atearam fogo na Escola Municipal Santa Luzia, situada na comunidade Macurany, área suburbana de Parintins, lançaram um coquetel molotov contra os ônibus que estavam estacionados na Escola Estadual Tomaszinho Meirelles, felizmente o fogo atingiu apenas a vegetação próxima aos veículos e rapidamente foram apagadas pelo Corpo de Bombeiros. Ainda mais, um ônibus sucateado na usina de asfalto também foi incendiado. Os ataques foram realizados simultaneamente em Manaus e em outros municípios do Amazonas.

Com o objetivo de evitar novos atos de vandalismo, em Parintins policiais militares do 11º BPM passaram a realizar “Operação Saturação” nas áreas de maior incidência criminal, bem como nos locais de grande fluxo de pessoas como nas orlas, portos, pontes, becos, vielas, bares e áreas de ocupação. Na operação os policiais revistam pessoas e veículos de duas e quatro rodas na busca de encontrar materiais ilícitos com o objetivo de evitar novos ataques. O estado do Amazonas recebeu ainda o reforço de policiais da Força Nacional de Segurança no combate ao crime organizado.

você pode gostar também