Desembargadores acusam influência do CNJ na eleição do TJ-AM

Foto: CNJ/Divulgação

Manaus – Magistrados da Corte do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJ-AM) comentam à boca miúda que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) pode estar sendo usado para influenciar na eleição que escolherá neste primeiro semestre, em data ainda não definida, o sucessor ou sucessora da desembargadora Graça Figueiredo no comando do Poder Judiciário.

O assunto vem sendo comentado há semanas, mas ganhou força nesta quarta-feira, dia 30, quando a Corregedoria do CNJ decidiu pedir a abertura de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD) contra o ex-presidente do TJ-AM Ari Moutinho sobre um caso, segundo eles, já arquivado.

O caso chegou a ser colocado em pauta na última terça-feira, dia 29, mas o julgamento foi interrompido após pedido de vista dos conselheiros Carlos Levenhagen e Daldice Santana.

Na semana passada, magistrados que se mostram alinhados ao desembargador Flávio Pascarelli, candidato à presidência do TJ, antecipavam que Ari Moutinho poderia ser afastado pelo CNJ nesta terça-feira, dia 29, e que isso seria apenas parte de uma operação que poderia tirar da corte mais dois desembargadores: Domingos Chalub e Encarnação Salgado.

Também na semana passada havia um movimento entre os magistrados de elaborar um documento para dar publicidade ao que chamavam de manobra. Porém, nada sobre isso foi divulgado, oficialmente, até aqui.

Fonte: Blog BNC

você pode gostar também