Diante de público recorde, Brusque converte todos os pênaltis e é campeão

É campeão!

O Brusque é novo campeão da Série D do Brasileiro. Após empate em 2 a 2 com o Manaus (o segundo entre os times), neste domingo, em uma Arena da Amazônia com quase 45 mil torcedores, equipe de Santa Catarina levou a melhor nos pênaltis ao converter todas as seis cobranças de pênaltis e contou com a sorte de Márcio Passor errar a última cobrança dos donos da casa. É o primeiro título da equipe de Brusque e o primeiro da quarta divisão para o futebol catarinense. Júnior Pirambu e Thiago Alagoano marcaram no tempo normal. Sávio e Mateus Oliveira descontaram.

 

Penalidades

As cinco primeiras cobranças foram convertidas pelos jogadores do Manaus e Brusques. Derlan, Charles, Martony, Thiago Spice e Mateus Oliveira fizeram para os amazonenses. Pelos catarinenses, Thiago Alagoano, Airton, Thiago Henriques, Gama e Vinícios converteram. Nas cobranças alternadas, Márcio Passos chutou por cima do gol e o goleiro Zé Carlos fez o gol do título do Bruscão.

Título inédito

Esse é o primeiro título de uma divisão nacional do Brusque e o primeiro da quarta divisão de Santa Catarina. O Amazonas continua sem título em competições nacionais.

 

  • Confira a lista dos últimos campeões

    2009: São Raimundo/PA

    2010: Guarany de Sobral/CE

    2011: Tupi/MG

    2012: Sampaio Corrêa/MA

    2013: Botafogo/PB

    2014: Tombense/MG

    2015: Botafogo/SP

    2016: Volta Redonda/RJ

    2017: Operário Ferroviário/PR

    2018: Ferroviário/CE

    2019: Brusque/SC

  • Recorde Quebrado

    A Arena da Amazônia tem um novo recorde de público. Os 44.896 torcedores que compareceram para a final da Série D deste domingo superaram o público de Flamengo e Vasco, pela semifinal do Campeonato Carioca de 2016, quando contou com 44.419 presentes. Confira

    Arena da Amazônia tem público recorde
    Arena da Amazônia tem público recorde (Foto: Orlando Júnior)

  • Primeira mulher a apitar uma final de Brasileiro

    A final da Série D deste domingo entre Manaus e Brusque teve um feito inédito no futebol nacional. Pela primeira vez na história, uma árbitra apitou uma decisão de Campeonato Brasileiro – incluindo qualquer divisão. A protagonista foi paranaense da Federação Paulista Edina Alves Batista, de 39 anos, que é árbitra desde 2007. Categoria FIFA, ela estreou no apito na Série A somente neste ano, em 2019, mas já acumula duas partidas na elite: Atlético-MG 2 x 2 Fortaleza e CSA 1 x 0 Goiás.

    Edina Alves Batista apitou final da Série D
    Edina Alves Batista apitou final da Série D (Foto: Rômulo Almeida)

  • Primeiro tempo

    Após empate em 2 a 2 no primeiro jogo, em Santa Catarina, esperava-se que as equipes entrassem em campo um pouco mais cautelosas. Mas uma falha da zaga do Manaus fez com que o jogo ficasse quente logo no início. Júnior Pirambu, que não tinha nada com a bobeira do Manaus, aproveitou o rebote e abriu o placar logo aos dois minutos de jogo. O Manaus reagiu e logo em seguida conseguiu o empate, aos sete minutos. Após lançamento de Spice, Derlan arrumou para Sávio fazer de cabeça. No fim da primeira etapa, o Manaus ainda perdeu o autor do gol, machucado, que foi substituído por vitinho. Os times ainda buscaram, mas terminou tudo igual a primeira etapa.

    Manaus e Brusque empataram em 1 a 1 na primeira etapa
    Manaus e Brusque empataram em 1 a 1 na primeira etapa (Foto: Mauro Neto/Sejel)
  • Segundo tempo

    Na segunda etapa, o Brusque voltou melhor. Mas, quem fez primeiro foi o Manaus. Aos 13 minutos, o atacante Mateus Oliveira foi oportunista e se antecipou à zaga em cobrança de escanteio para virar o jogo. O Brusque tentava de todas as formas o gol, e o Manaus esperava no campo de defesa para contra-atacar. Até que após um bate e rebate na área do Manaus, a bola sobrou para Thiago Alagoano apenas empurrar para o gol e empatar aos 36 minutos. O cansaço bateu e os dois times não conseguiram produzir muito e apenas esperaram o apito final para levar a decisão para os pênaltis.

    Na segunda etapa terminou tudo igual novamente
    Na segunda etapa terminou tudo igual novamente (Foto: Mauro Neto/Sejel)

    Com informações do g1

você pode gostar também