Diretor do enfrentamento ao coronavírus, em Parintins, é infectado pela doença 

Foto: Divulgação

O médico anestesista Daniel Tanaka, por três dias, já sentiu dor no peito, que piorava, ao respirar fundo, quando optou por fazer o teste para SARS COV-2, na sexta-feira (24). Mesmo com todos os cuidados possíveis com prevenção e uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) adequados, o médico passou à condição de paciente, hoje.


Daniel Tanaka atua na linha de frente no enfrentamento à Covid-19, na equipe do Hospital Jofre Cohen, e teve resultado, neste domingo (26). “Eu acreditava que poderia ser uma dor causada pela ansiedade e angústia em lidar com pacientes graves, ter de tomar decisões de extrema responsabilidade, mas não. O resultado foi positivo”, diz.

O médico revela que chegou a vez de superar a doença. “Quando entramos numa guerra para vencer, nos entregamos de corpo e alma. Sabemos que a qualquer momento podemos nos ferir; nesse caso, numa batalha árdua contra um vírus invisível e letal, podemos nos contaminar. Fique em casa! Não se aglomere! Não aguentaremos assim”, salienta.

Daniel Tanaka quer logo se recuperar da Covid-19. “Me sinto impotente em ter de deixar meus colegas e me recolher. Por mim, não me afastaria, mas é diferente. Trata-se de uma doença contagiosa. E estar atuante, significaria expor colegas profissionais de saúde ao contágio. Continuarei atuando, agora no isolamento do meu lar”, afirma.

O diretor do enfrentamento ao novo coronavírus em Parintins vai se ausentar da linha de frente. “Tomando os remédios e reorganizando a mente para o breve recomeço, no momento mais complicado da pandemia. Espero me recuperar plenamente e voltar a ajudar e contribuir para que vençamos essa guerra a favor do bem maior: a vida”, declara.

você pode gostar também