-Publi-A-

Doméstica diz na Polícia que matou idosa em Parintins para comprar uma geladeira

Marciane sozinha, segundo a Polícia, planejou e efetuou a morte de Nair Magalhães.

A prisão de Marciane  Pinheiro de Souza, 20, ocorreu na madrugada deste sábado após a mesma confessar que arquitetou a morte da aposentada

Carlos Alexandre | 24 horas

[email protected]

Parintins (AM) – Marciane Pinheiro de Souza, 20, confessou a autoria na morte da aposentada Nair de Jesus Tavares Magalhães, 84, na tarde de ontem no bairro de Santa Clara em Parintins. Ela assumiu durante o interrogatório que planejou e efetuou tudo sozinha e no depoimento a polícia disse que “matou para comprar uma geladeira” para a mãe dela.

Marciane trabalhava como doméstica na casa de dona Nair e sabia de toda a movimentação no dia de sua morte principalmente que teria ido sacar sua aposentadoria. No primeiro depoimento ela contou que dois homens teriam invadido a casa e assassinado brutalmente a idosa,  ainda teriam lhe ferido com uma faca. https://www.parintins24hs.com.br/por-causa-de-r-1-800-mulher-e-assinada-dentro-de-casa-em-parintins/

Telefone celular foi escondido por um membro da família da acusada.
Telefone celular foi escondido por um membro da família da acusada.

A polícia desconfiou da doméstica já no primeiro contato quando Marciane contou que foi levada para outro cômodo da casa e desmaiou durante a ação. No primeiro interrogatório ela disse que os “criminosos”teriam levado o celular da vítima. Após o crime a Polícia encontrou na bolsa da acusada R$ 1.200 e o telefone celular da vitima o que levou a polícia a confirmar que a doméstica tinha participação no crime.

A jovem após ser liberada do hospital foi levada para o bairro da União pelo primo Paulo Afonso Veiga de Souza. Ele também foi preso por dificultar o trabalho da Polícia e chegou a ocultar o telefone celular da acusada. “As polícias civil e militar fizeram buscas em um matagal, onde o mesmo havia escondido o celular”, anunciou a equipe da polícia civil, por meio dos investigadores Erison Coelho que juntamente com Humberto Henrique e Normando Andrade efetuaram a prisão da acusada.

Paulo Afonso, primo da acusada, foi preso por dificultar o trabalho da Polícia.
Paulo Afonso, primo da acusada, foi preso por dificultar o trabalho da Polícia.

 

 

você pode gostar também