Duelos de Titãs: Rubros x Azuis!

Eles são peças essenciais para a conquista do campeonato. As preparações e expectativas destes guerreiros e guerreiras que por três noites transformam-se em titãs na arena do Bumbódromo.

Sinny Lopes | 24 horas

[email protected]

Manaus –  Há 51 em anos em Parintins grandes duelos são travados em três atos na homérica batalha cultural e artística que é o Festival Folclórico de Parintins. Onde seres mortais adentram a arena tornando-se entes divinos. Quais os titãs que desafiavam os deuses do Olimpo? Nossos titãs amazônicos desafiam a coragem, a destreza, a dor e a emoção de defender suas cores com aquilo que lhes foram confiados em dádiva: o talento e a arte.

Homens e mulheres; curumins e cunhatãs; mortais e imortais; humanos e divinos; efêmeros e eternos; azuis e vermelhos; Caprichoso e Garantido; Ferreira e Azêdo; Nogueira e Dianná; Cardoso e Viana; Brasil e Tapajós; Oran e Medeiros; Paulain e Neves; Assayag e Jr.; Piçanã e Azevedo; Nascimento e Santana todos juntos em um mesmo pantheon tribal da imortalidade parintinense.

O duelo não é fácil. Requer sacrifício, disciplina, entrega, força de vontade e, principalmente, autoconfiança. Os itens femininos e masculinos da Francesa e da Baixa do São José enfrentam uma intensa maratona nesta reta final que antecede às apresentações e o Portal Parintins 24h procurou saber como está sendo todo esse processo com os astros e estrelas que disponibilizaram alguns minutos de seus tempos responderem nossas perguntas.

Maria Azedo completa 10 anos no item cunhã poranga. Foto: Pedro Coelho.
Maria Azedo completa 10 anos no item cunhã poranga. Foto: Pedro Coelho.

Veteranos

Maria Azêdo

P24h: São 10 anos brilhando e guerreando na arena, ocupando o maior posto de um Bumbá. A Maria 2016 vem para fechar uma década de dedicação e amor com chave de ouro?

Maria: Bem, estou completando uma década com muita dedicação e muita sede de vitória. Em relação a fechar um ciclo, eu nem estou pensando nisso agora (hoje). No momento o foco é o bicampeonato! A experiência me ajuda muito neste momento de preparação redobrada, cuidados com o corpo e com a alimentação exigem dedicação integral. A mente também é importante para chegar à arena com equilíbrio e com bem estar, o nervosismo sempre existe é o que nos move. Estou totalmente focada nas minhas apresentações, minhas expectativas são as melhores possíveis, pois confio no boi e confio em mim mesma que posso ser e dar o melhor para o boi, para minha galera contribuindo para a vitória. Vivo o melhor momento da minha vida e isso refletirá na arena. No mais, penso a partir do dia 28 de junho.

Brena Dianá Rainha do Folclore. Foto: Pedro Coelho
Brena Dianá Rainha do Folclore. Foto: Pedro Coelho

Brena Dianná

P24h: Você é considerada, tantos por azuis quanto por rubros, o item mais completo do festival. Isso lhe assusta ou te incentiva a cada vez mais a superar em suas apresentações?

Brena: Não me assusta. Só me incentiva claro, a me superar cada vez mais na arena do Bumbódomo. Busco sempre surpreender não só a minha nação, mas como a nação vermelha e branca. Isso é uma grande responsabilidade que eu tenho que é a de superação. Sempre mostrar algo novo pra eles, sempre tirar o suspiro da plateia, até mesmo pessoas que não são envolvidas no boi, mas que gostam do Festival e que assistem em casa. Espero sempre surpreender e deixar minha marca.

Isabelle Nogueira Rainha do Folclore do boi Garantido. Foto: Divulgação/FacebookboiGarantido
Isabelle Nogueira Rainha do Folclore do boi Garantido. Foto: Divulgação/FacebookboiGarantido

Isabelle Nogueira

P24h: Como estar a sua expectativa para seu segundo ano. Sendo que esse ano você está mais experiente e conta com um apoio maior que o ano passado mesmo com todas as dificuldades deste ano?

Isabelle: Estou com uma expectativa a mil, segundo ano, segundo ano da realização do meu sonho. Todo mundo que me acompanha sabe o quanto eu batalhei por isso, o quanto realmente eu gosto de ser item e eu sonhava com isso desde pequena, então é o segundo de uma grande realização para mim: e não é qualquer coisa. E a gente acabou caindo nesse momento de crise não é? Mas, eu acredito que o Garantido é o boi da superação e o Garantido gosta desses momentos porque já aconteceram várias situações com o Garantido em que ele se viu numa situação parecida como essa de crise, mas, um momento de crise em outro setor e superou.

Então o Boi Garantido é o boi da união é o boi da superação, tenho orgulho de ser item no Garantido e me deixa com uma expectativa maior ainda e com uma ansiedade muito maior de ver esse boi lindo na arena, o Garantido vem lindo e grandioso. Minhas fantasias estão muito bonitas, os artistas são muito capazes graças a Deus o Garantido têm artistas incríveis. Estou ensaiando, fazendo treinos de academia, treino de resistência, dieta evitando carboidrato e estou muito feliz com o apoio da nação que a cada dia só aumenta é muito bonito você receber o apoio de pessoas que amam, realmente, o Garantido. Tenho uma enorme  gratidão quando recebo o apoio de pessoas que não me conhecem de outros estados e cidades do interior que torcem pelo meu item porque querem apenas um boi vitorioso, campeão. Isso me faz mais forte, fortalecida, me faz querer que cada dia que passe os três dias do festival cheguem logo.

Verena Ferreira cunhã do boi Garantido. Foto: Divulgação/Facebook boi Garantido
Verena Ferreira cunhã do boi Garantido. Foto: Divulgação/Facebook boi Garantido

Verena Ferreira

P24h: Você estreou em 2014, como Porta-Estandarte, com vitória. Estreou em 2015, como Cunhã, e venceu. Qual a sua expectativa para este ano? Qual a sua preparação e você sente nervosa ou ansiosa para entrar na arena?

Verena: Bom Sinny, primeiro eu fico muito feliz por ganhar esses três anos que eu venho concorrendo. E nesse quarto e último ano não quero fazer diferente, não quero decepcionar a galera vermelha e branca, então estou indo [pra arena] para ganhar. Estou indo com toda a minha garra com toda a minha força, mostrar e inovar: dá nome [risos]. Eu estou numa expectativa muito grande, estou acreditando muito no Garantido apesar de todas as dificuldades que o festival está tendo. Em relação a minha preparação assim como a grande maioria dos itens se prepara nesse mês que antecede o festival é, exatamente, com a alimentação, com academia e no meu caso estou indo muito para a estética e trabalhando muito a resistência.

Sim, eu fico nervosa, fico um pouco ansiosa, mas, na verdade esse nervosismo [não sabe se essa é bem a palavra certa] acho que seria mais ansiedade mesmo. Porque toda apresentação você tem essa ansiedade e na arena não é diferente, você tem toda aquela expectativa de como vai ser. Mais, assim, essa ansiedade acaba assim que eu piso na arena, quando piso eu fico muito focada fico muito destinada ao meu objetivo. Eu acredito muito no nosso quadro de itens, o Garantido vem trabalhando em cima disso e confio muito em mim e na minha dança e eu sempre procuro fazer isso: inovar e tentar mostrar um lado mais indígena, um lado mais guerreiro da cunhã-poranga e graças a deus estou conseguindo  espero muito esse ano, é claro com muito pé no chão, fazer o que eu sempre venho fazendo e encerrar esses quatro anos com vitória.

P24h: Quarto e último ano? Então você pretende mesmo deixar o boi e dedicar-se a outros projetos de vida?

Verena: Meu quarto e último ano, sim. Eu estou saindo, exclusivamente, por causa do meu curso. Quero dedicar 100% a minha vida pessoal e, também, estou deixando para dar oportunidade a outras garotas parintinense, a outras garotas que tem esse sonho e almejam brincar de boi, dançar, experimentar e sentir a sensação de estar na arena, de estar defendendo [o boi]. Eu acredito muito nisso, sabe? Desde que eu entrei eu sempre tive isso: isso aqui é passageiro e eu espero que outras garotas também experimentem a mesma coisa que eu estou experimentando. Porque eu acredito que a Cultura é isso, você precisa na verdade abranger o máximo de pessoas possíveis e eu acredito sim que o máximo de garotas possíveis tem que ser item, tem que experimentar, tem que viver esse momento e acredito, também, que chegou a minha hora: o legal é você saber a hora de sair. Eu acredito muito que está vindo aí garotas que são sensacionais e deixar claro que todas as parintinenses precisam ter esse sonho e essa esperança ainda viva porque é muito bom. Eu estou saindo e levando comigo boas lembranças e espero brincar de boi, também, no item 19. Acho que falei muito, mas, é isso: estou saindo exclusivamente por causa dos meus estudos e para deixar o cargo para outras parintinenses. Estou muito feliz e espero que dê tudo certo.

Este ano três itens estreiam na arena e um retorna para defender suas cores: Taissa Brasil (Porta-Estandarte do Boi Caprichoso); Djidja Cardoso (Sinhazinha da Fazenda do Boi Caprichoso); Fabiano Neves (Apresentador do Boi Caprichoso) e Adriane Viana (Sinhazinha da Fazenda), respectivamente.

O portal Parintins24h conversou, com exclusividade, com os estreantes nesse momento de pura ansiedade que antecede à entrada no palco sagrado do folclore amazonense cujo espetáculo é concebido pelas mãos e talento do parintinense.

Fabiano Neves apresentador que estreia na arena do bumbódromo pelo Caprichoso.
Fabiano Neves apresentador que estreia na arena do bumbódromo pelo Caprichoso.

Fabiano Neves

P24h: Você tem um vasto “knowhow” em apresentar espetáculos artísticos. Como você está lidando com a responsabilidade de defender o Boi Caprichoso?

FN: A responsabilidade de apresentar o Boi Caprichoso é a responsabilidade de apresentar o maior espetáculo folclórico do planeta em termos de grandiosidade, mas encarada com a mesma responsabilidade que tive para apresentar os demais grupos que me deram esse privilégio, pois a palavra responsabilidade é uma só para todas as ocasiões. Quando você se dispõe a apresentar um grupo folclórico, você esta se dispondo a traduzir não só uma obra artística, mas todo o sentimento de uma comunidade. Traduzir o Caprichoso será traduzir meu sentimento porque sempre fui e sempre serei parte disto. Mas, tecnicamente falando, sabemos das dimensões do que o Caprichoso esta prestes a apresentar, e para isso, será necessário que eu esteja atento a cada detalhe, a cada movimento e a cada sentimento naquilo empregado.

Estou há alguns dias aqui em Parintins  empenhado, o Chico Cardoso juntamente com o Gil [Gonçalves] e todo o Conselho de Artes tem me dado todo apoio que eu necessito.

Os artistas me receberam muito bem nos galpões: Junior de Souza, Juarez Lima enfim, todos os artistas me receberam, me passaram cada detalhe pode ter certeza que o Caprichoso terá um apresentador que vai pensar em detalhes minuciosos que ainda não foram apresentados no festival, não foram ditos como deveriam, então eu vou realizar um trabalho mais minucioso focado nessa parte.

P24h: E a sua ansiedade? Como é que você está tratando essa ansiedade, se é que existe essa ansiedade, para daqui a sete dias?

Fabiano: Parece incrível, mas, eu não estou me sentindo ansioso, não estou nervoso eu estou focado mesmo neste momento em aprender tudo que tem que ser aprendido e não é pouco coisa. Principalmente os nomes das pessoas, até porque elas não me eram familiares. Você não pode esquecer essas pessoas de forma alguma, cada um tem a sua parcela de contribuição e você deve destacar essa parcela, como ela foi dada e como ela irá somar na arena. O Conselho de Artes tem me dado todo apoio e todo o suporte necessário para que eu faça uma excelente apresentação, inclusive, com direito a muitas inovações que nós teremos na arena: não é clichê, realmente, é inovação.

P24h: Então, da sua parte, tranquilidade total e foco são as palavras-chaves da sua preparação?

Fabiano: Exatamente!

Thaissa Brasil estreante no item porta estandarte do Caprichoso.
Thaissa Brasil estreante no item porta estandarte do Caprichoso.

Thaissa Brasil

P24h: Você possui experiência com os muitos shows de turistas no mais de um ano se apresentando como item substituto. Qual é a tua expectativa, como está sendo a sua preparação para defender o pavilhão azul e branco no 51º Festival Folclórico de Parintins?

Thaissa: Primeiramente, estou muito feliz este ano de estar estreando como porta-estandarte do Boi-Bumbá Caprichoso e, realmente, os shows para os turistas e os eventos dos quais participei como P.E substituta me ajudaram para que hoje eu adquirisse experiência no item. Com relação a minha preparação estou tendo muitos treinos, cuidados com a estética, com a saúde visando uma grande apresentação e excelente estreia no festival Folclórico de Parintins.

P24h: Como você está controlando a ansiedade de entrar na arena?

Thaissa: Estou ansiosa, bastante nervosa, também por ser meu primeiro ano. Eu pretendo fazer uma belíssima apresentação há uma grande expectativa sobre mim por eu ser um item estreante [novo] isso causa certo nervosismo, mas, vou fazer o meu melhor na arena para que a nação azul e branca goste.

P24h: O que a Nação Azul e Branca pode esperar de sua guardiã tribal neste festival?

Thaissa: Então, a galera pode esperar uma P.E ousada, determinada que vai dar o seu melhor na arena para alcançar as notas máximas para somar com nosso boi para ser bicampeão.

Adriane Viana retorna ao item Sinhazinha da Fazenda.
Adriane Viana retorna ao item Sinhazinha da Fazenda.

Adriane Viana

Entre uma prova de vestido e uma entrevista para fechar um caderno do A Crítica o item mais solicitado da temporada falou ao portal.

P24h: Adriana qual a sua expectativa para o seu retorno à arena do Bumbódromo, após 10 anos de sua despedida [na verdade, um até breve] O nervosismo e ansiedade são as mesmas? O que a Nação Azul e Branca pode esperar se sua sinhá nesse reencontro?

Adriane: Eu voltei para somar, para fazer o meu melhor. Apesar de toda essa dificuldade estou me dedicado todos os dias. Sempre coloco Deus acima de tudo, é com muita fé, força e garra que defenderei o item 07. O meu combustível é essa galera que me recebeu de braços abertos novamente após 10 anos, eu não sai brigada com o boi em 2006: eu retorno com sentimento de gratidão. Sempre falo que nada é sacrifício quando se faz com amor, sou grata a você [Sinny Lopes] por sempre reconhecer o meu trabalho.

P24h: E a ansiedade e o nervosismo, existem?

Adriane: Existem, sim. Sou de carne e osso [risos]. Eu me arrepio dos pés a cabeça e imagino que será muito emocionante entrar na arena após 10 anos e defender a minha Nação Azul e Banca.

Sinhazinha do Boi Garantido Djidja Cardoso.
Sinhazinha do Boi Garantido Djidja Cardoso.

Djidja Cardoso

Em um breve intervalo de um banho e de um ensaio a rubra sinhá respondeu ao portal.

P24h: Como você está lidando com a ansiedade e o nervosismo, naturais de uma estreia, e o que a Nação Vermelha e Branca pode esperar de sua sinhá na arena?

Djidja: Bom! A minha preparação está a mil, na verdade já tenho quase dois meses morando em Parintins, com treinamentos físicos na academia Japan, tratamentos estéticos com a Dra. Mayla na clínica Excelência, ensaios bastante exaustivos, porém muito produtivo. Ensaios que acontecem de domingo a domingo, sem moleza. Confesso que não é fácil ser um item oficial, principalmente do meu amado boi Garantido. A responsabilidade é imensurável, pois temos o dever de nos entregarmos de corpo e alma e abrilhantar uma parte dessa grande festa. Ser Garantido e defender o meu item Sinhazinha da Fazenda é algo que me faz ir além do meu limite. A cada ensaio me apaixono ainda mais pelo item, pois vou ganhando um novo conhecimento, uma nova perspectiva, sem contar da enorme ansiedade que toma conta de mim cada vez mais que se aproxima do festival. A minha nação vermelha e branca pode esperar nesse festival uma sinhazinha audaciosa, alegre, delicada e, principalmente, uma sinhá que brinca de boi, que brinca com o seu Boi. Esse é o meu objetivo maior, evoluir trazendo inovações sem perder a tradição.

Colaboração: Chris Reis (Assessora do Boi Garantido) e Roberto Sena (Assessor do Boi Caprichoso)

Agradecimentos: a todos os itens por dispensaram um minuto de seus corridos tempos.

você pode gostar também