-Publi-A-

Dupla suspeita de triplo homicídio em Balbina é presa

Dois homens foram presos suspeitos de comandar e executar um triplo homicídio no município de Presidente Figueiredo, a 107 km de Manaus. O crime ocorreu dia 18 de março deste ano. A disputa entre líderes de facções criminosas opostas, pelo comando de vendas de drogas no bairro Mutirão, Zona Leste de Manaus, motivou a emboscada, segundo a polícia.

Alexsandro Campos da Costa, “Alex Padeiro”, e Márcio Orlan Silva de Jesus, o “Gordinho”, foram presos no sábado (26), por equipes do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) e da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Eles estavam no porto do Ceasa, Zona Sul de Manaus. Segundo a polícia, eles compõem uma facção criminosa que atua no Amazonas.

“Eles estavam desembarcando da balsa no Ceasa, vinham do município de Manaquiri para Manaus. Estamos investigando o que foram fazer lá, até porque como eles fazem parte do ‘Comando Vermelho’, estamos investigando se estão dando guarida para os foragidos, entre os quais está Mano Kaio”, disse o delegado Juan Valério.

A dupla estava com o veículo, supostamente, utilizado no dia do triplo homicídio, um Clássico, prata. O carro também foi apreendido.

De acordo com a polícia, os presos trabalhavam com Gelson Carnaúba – um dos líderes de facção criminosa. Alex Padeiro é apontado como o braço direito de Carnaúba.

“Márcio admitiu participação, mas disse que apenas dirigiu um dos carros. E o ‘Alex padeiro’ não”, apontou o delegado Juan Valério.

Na emboscada, supostamente armada por integrantes da facção, foram mortos irmãos Alexandre Maquiné Pereira, de 37 anos, e Keyssio Diones Maquiné Pereira, 39. Outro irmão Eduardo Maquiné, de 48 anos, foi atingido e permanece internado no hospital. Já Alexandre Lemos, o “Ala” – suposto segurança e braço do narcotraficante João Pinto Carioca – também foi morto.

“O alvo principal era ‘Mano Ala’. A equipe detectou ‘Mano Ala’ e mais duas pessoas que foram executadas como queima de arquivo porque detectaram as pessoas que estavam fazendo parte do ataque. Verificamos e confirmamos que se tratava de guerra de facções”, disse o delegado da Dehs, Jeff David Mac Donald.

De acordo com o delegado, a matança foi orquestrada a mando do Comando Vermelho/Foto: Erlon Rodrigues/PC-AM

De acordo com o delegado, a matança foi orquestrada a mando do Comando Vermelho, contra a facção criminosa Família do Norte (FDN). “A área do Mutirão é a única área atual de Gelson Carnauba, vulgo ‘Mano G’. E, a FDN quer tomar essa área para ter a totalidade. Por isso, os incessantes ataques que estão ocorrendo na Zona Norte”, disse Jeff.

Juan Valério aponta que a chacina em Presidente Figueiredo se deu após o narcotraficante João Branco dar ordem para tomar a área do Mutirão, comandanda por Gelson Carnaúba.

“A parti de então, os traficantes associados a Gelson Carnaóba uniram forças, tanto Mano Kaio, Alex Padeiro, Jhonson e outro (que não teve o nome divulgado) cederam seus soldados, carros e armas para efetuar execução. Estamos investigando se ordem veio de Gelson Carnauba que foi repassada À essas pessoas”, disse Juan Valério.

Durante coletiva, “Gordinho” disse que participou da emboscada porque foi ameaçado de morte. Já “Alex Padeiro” preferiu não falar. “Para que falar alguma coisa? Não vai adiantar nada!”, disse.

Crime no sítio

O crime ocorreu no domingo 18 de março, por volta das 3h da madrugada, em um sítio localizado no km 49 da rodovia estadual, AM 240. Supostos integrantes da FDN aproveitavam o fim de semana no local com familiares, segundo a polícia.

Investigações apontam que a logística utilizada no crime foi complexa. Para se ter uma ideia, 16 pessoas participaram do assassinato e quatro veículos foram utilizados.

“Dos 16 participantes da chacina, temos 1 morto que é o Rodrigo Pinheiro de Souza Amaral e 2 presos (“Alex Padeiro” e “Gordinho). Temos informações que Adriel Sampaio Encarnação, o ” Cara de pizza” sofreu um ataque ocorrido no Mutirão, tomou um tiro nas costas e estamos monitorando os hospitais. Alguns fugiram do Estado e outros estão escondidos em municípios do interior do Estado. E outros estão no anonimato. As investigações continuam”, disse Juan.

A dupla foi indiciada por triplo homicídio e organização criminosa. Eles serão encaminhados ao Centro de Detenção Provisoria Masculina (CDPM).

Rrepresália após chacina em Presidente Figueiredo
A partir do triplo homicídio, se intensificou as mortes e ataques no Mutirão. Como o caso da morte no motel, localizado no bairro Cidade de Deus, na Zona Leste de Manaus.

De acordo com o delegado Juan Valério, o crime ocorreu noite de sábado, 7 de abril, quando homens invadiram o estabelecimento e mataram Rodrigo Pinheiro de Souza, de 20 anos, conhecido como “Amaral”. Segundo a polícia, outro homem que estava no local, Menison Bezerra Gomes, 23, conhecido como “Topete”, se fingiu de morto e conseguiu fugir. O crime ocorreu por volta das 23h30 na avenida Nossa Senhora da Conceição

Quem tiver informações sobre o paradeiro de outros envolvidos pode entrar em contato pelos 181 ou 994489602. Sua identidade será mantida em sigilo.

Com informações do G1

você pode gostar também