“Ele era um gênio”, diz Ademar Azevedo sobre ator Flávio Migliaccio, com quem contracenou no Sítio do Picapau Amarelo 

Por Gerlean Brasil

Parintins (AM) – O compositor Ademar Azevedo lamentou a morte do ator Flávio Migliaccio, ocorrida, no Rio de Janeiro, hoje (04). Ambos contracenaram na série infantil Sítio do Picapau Amarelo, no Hotel Ariaú Amazon Towers, no Rio Negro, Amazonas, para o episódio “A Menina da Selva”, com 25 capítulos, sob a direção de Cininha de Paula, que estreou na Rede Globo, no dia 12 de abril de 2004.

O parintinense fez parte do elenco como o índio “Dourado”, protetor de Jajale, personagem de Bruna Marquezine, no qual Flávio Migliaccio era o ser mágico Iaú. O episódio “A Menina da Selva” contou as peripécias de Jajale, perdida na floresta, na temporada 2004. As locações na Amazônia, fora da fazenda da Dona Benta, deram ares de superprodução à série, com 43 pessoas envolvidas nas cenas.

Ademar Azevedo diz que Flávio Migliaccio foi um professor, com quem teve a oportunidade de ficar ao lado pelo período de quatro meses. “Ele fazia o papel de um espírito da floresta. Conversamos muito quando a gente estava no hotel de selva. Perguntei muitas coisas de como poderia atuar, incorporar o personagem e apreendi muito com a experiência dele. Você não imagina a humildade dele”, descreve.

O parintinense convidou o ator para conhecer o festival. “Tive a honra de ficar próximo e ensinamentos de como poderia ser a melhor cena. Ele era de uma humildade tão grande, mesmo sendo um ator de sucessos na televisão. O maior sonho dele era gravar na Amazônia. Ele não veio a Parintins, porque pegou outros papéis e não teve mais tempo. Só tenho a dizer que ele era um gênio”, diz Ademar.

você pode gostar também