Eleição do Conselho Tutelar de Parintins definiu novos titulares e suplentes

Da Redação | Parintins 24 Horas

[email protected]

Ana Miranda, Rogerson Farias, Jocifran Lima, Iris Simas, e Ivanez Oliveira são os novos conselheiros tutelares titulares, eleitos em votação, neste domingo, 06 de outubro. João Maurício, Nilciara Barbosa, Loura Farias, Fernando Buás, Simony Fragata, Ronessa Souza, Ronny Farias, Roney Pantoja Fabi Silva e Antônia Pontes ficaram como conselheiros suplentes.

Vinte e três candidatos disputaram um total de 7.684 votos no Processo de Escolha dos Membros do Conselho de Parintins, no domingo, das 8h às 17h. A publicação do resultado dos eleitos sai no Diário Oficial dos Municípios do Estado do Amazonas, nesta segunda-feira. A diplomação e posse dos conselheiros tutelares é marcada para o dia 10 de janeiro de 2020.

A apuração de 58 urnas, realizada no Ginásio de Esportes Elias Assayag, terminou às 3h, já na madrugada de hoje. A votação ocorreu por meio de cédulas e qualquer eleitor regularizado poderia escolher um dos concorrentes.

Porém, a eleição teve alguns transtornos como atrasos na abertura da votação, porque alguns cadernos não chegarem a tempo nas seções eleitorais, reclamação de candidatos sobre a ausência dos nomes nos cadernos, por não estarem quites com a Justiça Eleitoral, denúncias de compra de votos, sem comprovação, e ausência do nome de eleitores aptos a votarem.

A presidente da Comissão Especial da Eleição do Conselho Tutelar, Gabriele Oliveira, afirma que, embora a votação tenha sido agitada no decorrer do dia, a apuração foi dentro da normalidade. “Não tivemos nenhum problema. Todos os candidatos estavam serenos e calmos. Foi uma apuração bastante tranquila e ficamos felizes por não ter ocorrido nenhuma confusão no final”, salienta.

O Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM) atuou em todas as fases da eleição do Conselho Tutelar. “Acompanhamos o processo, desde o lançamento do edital, inscrição de candidatos, entre outros procedimentos. Hoje, é apenas a etapa final desse momento de escolha. Entendemos que tudo foi feito na maior transparência possível”, diz a promotora Lilian Nara Pinheiro.

A promotora de justiça acredita que o resultado da eleição reflete a vontade da população. Lilian Nara destaca que as ocorrências registradas durante o dia e apresentadas ao Ministério Público serão avaliadas. “Vamos ainda analisar todas as situações que aconteceram, tudo que chegou ao nosso conhecimento, e, se houver necessidade de algum outro procedimento, entraremos depois”, acrescenta.

você pode gostar também