-Publi-A-

Em Barreirinha, a acusados de estupro de indígena de 5 anos são soltos

Delegado afirma que não haviam provas contra os mesmos

Barreirinha (AM) – Dois suspeitos de envolvimento no estupro e morte de Ana Beatriz, criança indígena de 5 anos, foram soltos nesta terca-feira (24/11).

O delegado de polícia de Barreirinha, Enéas Gonçalves, esclarece que os dois homens, Adnilson Lira de Souza, 42 anos, e Jonilson Ferreira Barbosa, 30 anos, foram liberados por falta de provas.

Ambos foram acusados de participar do crime que ocorreu no domingo (22/11) na aldeia Nova Vida, área indígena do município de Barreirinha, distante 330 quilômetros de Manaus.

O delegado de Polícia, em entrevista ao repórter Jair Carneiro, que mantém uma página no Facebook, disse que eles foram liberados por não haver elementos que pudessem associá-los ao crime.

“Até o momento temos só o indício de que somente o menor cometeu o crime, até porque o mesmo deixou pertences seus na casa da vítima e confessou sua participação, mas as investigações ainda não estão fechadas”, esclareceu.

Enéas Gonçalves enfatizou ainda que os dois homens foram citados pelo menor infrator no intuito de o mesmo querer dividir a culpa, temendo um possível linchamento por parte de populares da localidade.

Quanto ao que vai acontecer com o menor infrator, o delegado disse que está conversando com a juíza da Comarca de Barreirinha, Larissa Padilha, para encontrar uma solução, visto que no município não há um local adequado para a sua internação.

Por: Jair Carneiro

você pode gostar também