-Publi-A-

Em Belém, Denarc apreende 50 tabletes de ‘supermaconha’ em balsa vinda de Manaus

A apreensão ocorreu em um porto, na Avenida Bernardo Sayão, na capital paraense. Segundo a polícia, o produto apreendido é de origem estrangeira

Agentes da Divisão Estatual de Narcóticos (Denarc) apreenderam, nesta quarta-feira (10), 50 tabletes de Skank em um veículo que estava em uma balsa, vinda de Manaus – AM. O entorpecente estava escondido na lataria de uma caminhonete.

A ação, que resultou na apreensão, ocorreu em um porto, na Avenida Bernardo Sayão, no bairro do Guamá, em Belém.  No momento da abordagem, ficou constatado que não havia ninguém no veículo, apenas o registro de resgate no Porto belenense.

De acordo com o delegado Paulo Junqueira, as investigações continuam agora para identificar os donos da carga: “Com base nisso, poderemos desmontar organizações criminosas que atuam no Estado do Pará e até mesmo em outras regiões do país”, destacou.

Uma das peças fundamentais para o sucesso na operação foi a utilização da cadela farejadora “Lost”, de 7 anos. Ela começou a fazer parte da cooperação há cerca de um mês. Ao chegar no Porto, foi ela quem indicou a localização do veículo que estava sendo monitorado.

A droga do tipo Skank (também conhecida como supermaconha e skunk) é uma droga mais potente que a maconha. Segundo a polícia, se não fosse retirado do mercado, o entorpecente apreendido seria fracionado para ser distribuído no Estado.

“É uma droga que tem maior poder de vício. Quem experimenta, fica viciado muito mais rápido. E com o vício, a criminalidade tende a aumentar, visto que muitos indivíduos precisam cometer delitos para sustentar seus vícios”, concluiu o delegado Paulo Junqueira.

O produto apreendido nesta quarta-feira é de origem estrangeira. É a segunda apreensão deste tipo registrada este ano pela divisão Estadual de narcóticos. A primeira aconteceu no fim de janeiro, da mesma forma. Na ocasião, 10 tabletes foram apreendidos.

Somente este ano, mais de 120 KG deste tipo de droga foram retirados do mundo do crime por agentes da Polícia Civil do Pará.

você pode gostar também